Michele Contel

TEXTOS SOBRE A VIDA E SOBRE AMORES ACOMPANHADOS DE CAFÉ

Social Media Icons

slide code

Photo

Michele
Michele, 26 anos, mantenho esse blog desde os 19 e eu basicamente escrevo e tomo café. / depois de tanto falar de amor por aqui, eu escrevi um livo. olha só!

MEU LIVRO

social media icons 2

Search

categoria 1

amor

categoria 2

lista

categoria 3

pessoal

post fresquinho na sua caixa de entrada

Calmaria

No sentir, sempre fui tormenta. 

Sempre estive apaixonada e sempre foi de forma intensa. 
Meu coração nunca ficava vazio e minhas expectativas não me deixavam em paz.
Eram como relâmpagos em noites escuras. Iluminavam, mas davam medo, também. 

Acreditava apenas no amor vermelho, vivo e que fosse forte o bastante para fazer o coração bater descompassado.
Por isso, sempre vivi amores fulminantes. 
Aqueles que vinham do nada e (me) levavam tudo.

Vivia novas paixões todos os dias e da forma mais intensa possível.

Furacão.

No começo doía bastante, mas depois aprendi a enxergá-los como uma fase entre dois tempos.
Do céu cinza ao arco-íris. Do barulho alto do trovão ao (quase) silêncio da brisa.

Aos poucos e depois de muita tempestade,
meus amores de tormenta viravam calmaria.



Quase que como um respiro para que eu tivesse tempo de reconstruir a cidade depois dos estragos da chuva forte, vinha a vontade de deitar na rede e aproveitar o silêncio que o bom tempo e a solidão oferecia. O vento soprava em meu ouvido e me dizia para acalmar meu coração, porque amores deveriam ter gosto de nuvem e barulho de sussurro.

Fechei os olhos,
senti a brisa
e de repente,
sozinha,
me vi em constante calmaria.

Sombra, brisa, mar calmo e tempo firme.
A paisagem era tão linda quanto o sentimento que ela trazia.
Não tinha casa para reconstruir e nem móveis para arrastar.
Era só sossego.
Tranquilidade.

Meu sentir, que sempre foi trovão, se tornou vento fresco em dia quente. 
Respiro. 

Suspiro. 

[sobre sentir e amar com (c)alma]

Comentários

  1. Que texto maravilhoso, é incrível como você coloca em simples palavras essa calmaria que diz sentir; com o tempo, o nosso coração muda, se tranquiliza, e de furação, ele se transforma e passa a ser uma simples garoa, mais uma leve calmaria.
    www.luaintensa.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário

os mais lidos da semana

Meu primeiro carro: 5 dicas para você finalmente conquistar o seu!
A cultura pop sempre deixou bem clara a importância destinada aos carros em todas as suas produções…
Quando foi que controle virou prova de amor?
Uma vez, enquanto estava divulgando meu livro, eu participei de um programa na CBN que chamava &quo…
Wishlist de maio - o mês mais lindo do ano!
O mês mais lindo do ano todo chegooooooou! Para quem não sabe, dia 24/05 é o #michelesday e, apesa…