Pegue uma loirinha de olhos azuis, noiva de um judeu coxinha e escritor, filho de advogados. Coloque essa loirinha, que já viveu um relacionamento homossexual, em uma cadeia onde, PÁ, sua ex-namorada está presa. Temos o primeiro episódio de Orange Is The New Black. A série é um verdadeiro sucesso - e não é de hoje. Conheci no ano passado, pela galera que comentava no Twitter, e resolvi assistir, afinal, todas as minhas séries estavam em hiatus. Não viciei. Achei legal e tudo, mas não me pegou. Fui assistindo um episódio um dia, outro um mês depois e só semana passada terminei a primeira temporada - mas terminei viciada. A segunda temporada é ainda melhor que a primeira e eu vou te dizer o porquê você deve parar o que estiver fazendo e assistir essa série mega bem produzida. 

A história é muito boa e, apesar de termos uma personagem principal, não é 100% focada nela, embora Piper seja fundamental para o desenrolar da trama. São detentas e, ao longo da série, você acaba tendo uma como favorita (amo/sou Black Cindy e Crazy Eyes!) e, obviamente, quer saber de sua história e como foi que ela parou numa prisão. Ou seja, rola toda uma humanização das presidiárias. Assassinas, ladras, traficantes, enfim! Você aprende a gostar e entender o que levou ela a fazer o que fez. As histórias singulares são incríveis e, repito, a série é muito bem produzida. Acredito que por ser original da Netflix, ou seja, seu único meio de exibição é o site, as cenas são mais "livres", ou seja, tem nudez total, tem violência, tem palavrão... É quase um retrato fiel de uma vida na cadeia mesmo (quer dizer, eu acho, né, nunca fui em uma - embora meu sonho de jornalista seja fazer um especial em uma prisão, tipo A Liga). 


Os vilões também são ótimos. Quer dizer, a gente sabe que um vilão funciona quando queremos que ele morra da forma mais dolorosa possível, não é? Pois bem! É assim com o Mendez, com a Vee e com a diretora Figueroa. Algumas tramas são bem pesadas, outras são hilárias e, sinceramente, você precisa assistir. Os episódios têm 50 minutos (é bem longo, acho que por isso demorei tanto pra viciar), mas acredite, vale a pena. Ah, a trilha sonora também é incrível - tem muito rap hahaha - além de uma das melhores aberturas de todos os tempos. 



E sabe o mais legal de tudo?
É baseada em fatos reais! 

Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!
Twitter  ♥ Facebook ♥ Instagram ♥ Youtube