. 31/03/2015 .
Se você acha que para vestir roupas da Marvel, precisa ter um guarda-roupas geek e bem próximo das composições de Sheldon Cooper, você está muito enganado. Pelo menos agora. A marca de roupas masculinas Five Four (pois é, geek girls, ainda não foi dessa vez) lançou uma coleção incrível de roupas mais sérias em parceria com a nossa gigante dos quadrinhos. A campanha é tão boa que, sério, qualquer coisa que eu diga não fará jus a ela. 


Segundo o co-fundador da marca, Andres Izquieta, os designers vasculharam todos os arquivos da Marvel para encontrar novas maneiras de adaptar a herança dos quadrinhos e expor a evolução da marca - e de seus heróis - em peças mais cool e sérias. "Estamos muito animados com a oportunidade de trabalhar com a Marvel", declara. Bom, eu também estaria. 



O vídeo da campanha mostra mais detalhes dessa coleção que eu já quero que todos os meninos do mundo usem. Tem composições sérias (uma coisa à lá Tony Stark), umas mais descoladas... Enfim, vale o play.


Obviamente o meu favorito foi o terno do Iron Man. Já pode mandar um "suit up" pro boy? 

Fonte: The Mary Sue

Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!
Twitter  ♥ Facebook ♥ Instagram ♥ Youtube

Pra eles: Five Four lança linha de roupas finas em parceria com a Marvel

. 30/03/2015 .
Créditos: GWS // Apoie as irmã - link do texto no final do post
Hoje em dia, "empoderamento" é uma palavra até que comum, graças ao destaque dos movimentos feministas na internet, mas faz pouco tempo que eu realmente entendi o significado da palavra (empoderar, dar poder) e da sua importância para todas as mulheres. Mas, antes disso, deixe eu contar um pouco da minha história antes de conhecer o feminismo. 

Eu sempre fui daquele tipo de pessoa que gostava de gongar (em off, em grupos de WhatsApp com amigas, etc) determinadas pessoas. Adorava sentar em meu próprio rabo e apontar os defeitos alheios. Com muita vergonha, assumo que fazia disso pautas entre conversas, práticas corriqueiras e, consequentemente, um hábito. Ás vezes me arrependia quando algo saia "do controle", ia pedir desculpas para o alvo da vez, mas depois voltava e fazia tudo de novo. Como se eu, que já sofri bullying - e sofri pra caralho com isso -, que sou a personificação da insegurança, fosse perfeita. Como se eu pudesse apontar o defeito de alguém. 

Até me dava um peso na consciência, sabe? Mas até quando eu queria parar, alguém puxava o assunto. E aí eu falava, falava, falava. E na maioria das vezes, era de outra mulher. Até que eu conheci o feminismo. O feminismo prega que nós, mulheres, devemos nos ver como irmãs. Juntar forças, afinal, o mundo já é ruim o bastante com nosso gênero. Comecei a prestar atenção em minhas palavras e em meus atos. Quanto mais lia sobre o movimento, menos vontade eu tinha de falar mal da pessoa x ou de comentar o cabelo da y. Em outubro, que foi um mês bem foda do ano passado, eu realmente parei com o mau hábito. Eu estava com tantos problemas, tantas coisas, que pensei "É sério mesmo que diante de tantas coisas, eu vou querer gastar meu tempo e energias com isso?". E aí parei. Parei de achar que vivo em um filme como "Meninas Malvadas" e que preciso de inimigas. Não, eu não preciso - e se realmente não tiver, mais sortuda serei. Inimigos, só que tem, são os heróis da Marvel.

Material lindo que foi distribuído no "chá" feminista que rolou em um pub da minha cidade ♥ 
O feminismo me mostrou que essa rivalidade entre mulheres é algo que colocaram em nossas cabeças. "Querem nos enfraquecer", nos desunir. Querem que realmente tenhamos em mente que "fulana quer ser como você", quando na verdade, fulana e o resto do mundo estão cagando para você, suas roupas, seu namorado, sua vida e suas viagens, sua comida e seu trabalho. É triste aceitar que você não é o centro do mundo e que as pessoas, raramente, se importam com você. E quem se importa, já está do seu lado. É triste imaginar que não somos protagonistas de Gossip Girl, mas não é mais triste pensar que somos o tipo de pessoa que fazemos algo para "provocar" outra

Em um evento de discussão feminista que rolou na minha cidade, eu fui e perguntei (fiz várias perguntas, como disse, sei pouco ainda sobre o movimento) sobre o empoderamento. Me explicaram que o empoderamento é você ajudar a mulher a perceber que ela é linda, talentosa, foda. Ela é assim a sua maneira, da mesma forma que você também é. Uma não precisa anular a outra. Uma não tem que ser feia para a outra ser bonita. Uma não tem que ser incompetente para a outra ser talentosa. NÃO. Nós todas somos incríveis e temos que nos dar as mãos.

Desde então, desde o outubro que eu passei por situações tensas e voltei minhas energias para outras coisas, minha vida mudou. Não consigo ver outra mina como rival, ou algo do tipo. Vejo como irmã, alguém que precisa me dar as mãos para que, juntas, a gente consiga enfrentar o mundo. Mesmo que ela insista em uma competição, mesmo que ela insista em uma rivalidade. A vejo como irmã e, sempre que puder, vou empoderá-la. Porque precisamos disso. E energia boa dada, sempre vem em dobro. 

- Leia também: ♥ Apoie as irmã ♥ | GWS - Girls With Style

Ps: outra coisa que vem me fazendo muito bem, aliviando, me deixando mais empática, com vontade de empoderar outras mulheres e, principalmente, me aceitando e me amando como sou, é um grupo lindo que foi criado depois do evento feminista que citei ali em cima, na minha cidade. Se você for de Araçatuba, ou de cidades próximas, e quiser fazer parte e discutir, conversar e entender, é só me chamar que eu te convido. ♥ 

Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!
Twitter  ♥ Facebook ♥ Instagram ♥ Youtube

Sobre empoderamento e como o feminismo está mudando minha vida

. 26/03/2015 .
Olar! Estou sofrendo de um pequeno bloqueio criativo, mas para quem me acompanha, sabe que isso é recorrente e que passa - geralmente, quando passa, vem os melhores posts haha. Como estou com trezentos e noventa e dois posts salvos nos rascunhos, estou completando um a um e postando. Esse é um dos que estavam encalhados há meses - não sei porque, é tão bacaninha, visto que a maioria das pessoas, assim como, trocam o wallpaper do celular compulsivamente haha. Bem, separei 12 wallpapers para celular que encontrei na internet e coloquei aqui. Os três últimos foram feitos por mim rs. Espero que gostem!

Fiz uma parte dois desse post com mais 18 wallpapers lindíssimos! Corre lá!

             

Todos estão todos na medida do iPhone 5, mas você pode salvar e adaptar para o seu modelo. Para salvar, basta clicar na imagem para abrir ela inteira em outra janela, ou clicar com o botão direito em "Salvar destino como". ♥ 

Curtiram? Se sim, compartilhe amor, quer dizer, o post! haha
Beijos beijos

Acompanhe o MOBIC (e euzinha) nas redes-sociais!

Freebies: 12 wallpapers para o seu celular

. 25/03/2015 .
Querido leitor do MOBIC, sei que você está se perguntando: "MAZOQUÊ tá acontecendo aqui?"

Sim, uma pequena Invasão dos Brothers! Euzinha, Mariny Migliorucci, do blog Plataforma 36, estou no comando da bolsa mais cobiçada da blogosfera. 

Como eu e a Mi estamos sofrendo um bloqueio criativo e não queríamos deixar vocês sem post, resolvemos trocar de blogs e contar um pouquinho sobre a nossa amizade, nossos blogs e tudo mais. Então, vamos começar! <3


Em meados de 2011, uma ruiva meio rocker começou a conversar comigo no Twitter. Ela era minha caloura na faculdade e não sei como viramos amigas. Digo não sei como, porque as únicas coisas que temos em comum são: os blogs e o fato de sermos do mesmo signo. E apesar disso tudo, nós nos damos MUITO BEM. A Mih sempre, sempre me incentivou a fazer o blog. Ela e o Oda, nosso divo máximo e peça para completar um trio perfeito, são fundamentais para a existência e história do P36.

Mais detalhes desta linda amizade, que se tornou uma parceria e até uma sociedade, vocês vão ver em uma tag que gravamos logo menos. Se é a sua primeira vez por aqui, você pode ver nosso projetico Chanel 36 e conhecer o Plataforma 36! E prepare-se, você também vai me encontrar por aqui no Papo Calcinha e fazendo as fotos do look do dia para a Mi! <3

10 Fatos sobre a Mih

1 - Ela é uma irmãzona e sei que posso contar com ela em todos os momentos da minha vida!<3
2 - Michelices vai ser titia do pequeno Arthur. E já tá toda babona nesse molecão, que já sabemos que será lindo, maravilhoso, estiloso e que vai fazer cosplay do Ryan Gosling.
3 - A Mih é toda geek e curte histórias em quadrinhos.
4 - Sendo assim, não OUSE DIZER QUE DC É MELHOR DO QUE MARVEL. 
5 - Ela acha que vai casar com o Homem de Ferro, já tentei explicar que não vai. Mas, não adianta.
6 - Nós somos princesas, ela é a Bela (da Bela e a Fera) e eu sou a Bela Adormecida.
7 - A Michele é EXTREMAMENTE BATALHADORA. Ela sempre correu MUITO atrás da carreira dela e sempre lutou muito pelo que quis. E é muito bom ver o brilho no olhar dela fazendo o que ama e conquistando coisas incríveis.
8 - Se tem uma coisa que chateia a Mih é quando incluem ela em competições que não existem, com razão né mores?! Afinal, quantos anos vocês tem?
9 - Criatividade em pessoa! Michele é mega criativa e você pode contar a ideia mais maluca que tem na cabeça, ela te ajuda a transformar isso em realidade!
10 - Nós nunca vamos brigar por causa de homens e só entramos em acordo de música quando ouvimos Beyoncé, Ellie Goulding, Taylor Swift, Katy Perry e cia. 

5 Motivos para ler o MOBIC

1 - Como a Michele tem uma criatividade infinita, aqui a rotina é palavra proibida e os posts são sempre surpreendentes.
2 - Aqui você encontra de tudo: moda, cinema, relacionamento, coisas do mundo geek, mundo pop e etc.
3 - O que dizer deste layout que eu não quero que ela mude nunca? Às vezes entro aqui só para olhar para a cara do Ryan.
4 - Sempre tem sorteios bacanudos! E mesmo sendo melhor amiga, nunca ganhei nenhum. #injustiças
5 - Tem conteúdo de qualidade, mas também tem posts feito com todo o coração da Mih, como este aqui

5 Posts favoritos que a Michelis fez


Infelizmente é hora de dar tchau e voltar para casa. Eu amei ter trocado de post com a Mi e contar um pouquinho mais sobre ela e sobre as maravilhas que o MOBIC tem. Espero que vocês também tenham gostado e espero que nossa irmandade continue por muito tempo. Te amo, abiga! 


Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!

Acompanhe o P36 (e a Mariny também) nas redes sociais!

Para finalizar e relembrar a era de ouro e de invasões da blogosfera! <3

Invasão dos Brothers

. 23/03/2015 .
Eu sou apaixonada por HAIM (como já falei aqui) de uma forma completa: amo suas músicas e, principalmente, o estilo das irmãs californianas, então, quando vi a atualização na página das bonitas com as fotos da campanha que estreleram para a Levi's, não perdi tempo: vim aqui mostrar para vocês e tirar a poeira do blog. 


O estilo delas é bem "normcore" e eu gosto muito. Sempre apostam muito no jeans, por isso, esse little photoshoot ficou bom - combina demais com as irmãs. Elas descreveram as filmagens como divertidas e elogiaram a produção. Ao que parece, as fotos foram feitas para um comercial da marca - vamos aguardar (ou esperar um superfã da banda vir me confirmar). 



E aproveitando o gancho, a Este (a primeira) juntou com Scarlett Johansson, Holly Miranda, Julia Haltigan e Kendra Morris, e formaram o grupo "The Singles". A primeira música lançada, Candy, é beeeeem Haim, só que com a voz da Viúva Negra.

Tá maravilhoso sim, vem ouvir!


E aí? Curtiram as fotos? A música?
Me contem!

Leia também: 3 bandas incríveis e de meninas superestilosas

Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!
Twitter  ♥ Facebook ♥ Instagram ♥ Youtube

O photoshoot das irmãs HAIM para Levi's

. 18/03/2015 .

A graduação acabou, mas nós jornalindas continuamos unidas, seja no WhatsApp ou no e-mail para debater assuntos polêmicos para o Papo Calcinha. Apesar de não ser muito polêmico, o debate de hoje é de extrema importância para muita gente. E se é o seu caso, miga, senta e leia com calma. Além das 5 opiniões, vou separar um material bem legal para você ler e acalmar seu coraçãozinho. Vamos conversar? Até quando vale a pena insistir em um namoro furado

Marina:
Vamos lá! Na minha opinião, a partir do momento que se tem este pensamento, já é um sinal de que algo está errado. Digo isso porque relacionamentos são como receitas: impossíveis de serem feitos com apenas um ingrediente. Assim como só os grãos de arroz não formam o produto final, o mesmo acontece de relacionamentos que só tem amor. E será que é amor mesmo? E o RESPEITO, o companheirismo, a fidelidade, onde entram? Partindo deste principio, vamos a resposta da pergunta: acredito que vale a pena insistir em um relacionamento até quando se tem respeito e vontade de continuar com com a outra pessoa. 

A partir do momento que só existem trocas de xingamentos e desconfianças, eu não acho que vale a pena. Não é saudável estar com alguém que só pensa mal de você. Não é saudável estar com alguém que te xingue de vadia e ai uma série de fatores começam a se acumular. Você já perde a vontade de estar com a pessoa, deixa de se sentir confortável ao lado dela, e sente uma pressão psicológica muito pior do que qualquer agressão física. Acho que neste ponto, quando este pensamento surge, precisamos pensar em dois fatores importantes:

- Isso realmente é amor? Não será algum sentimento de posse? Pode ser rotina também, será que não é?
- Até que ponto vale a pena abrir mão da minha felicidade para fazer outra pessoa feliz? 

Gente, um relacionamento é feito de pessoas que se complementam e não de pessoas que subtraiam a qualidade do outro, ou some até demais, a ponto de sobrar. Falar que ninguém muda é errado. Algumas pessoas mudam, mas isso acontece em 5% dos casos e não acho certo ficar se privando do seu direito de felicidade, só para estar com alguém pelo pensamento: ah mas ficamos tanto tempo juntos, fizemos tantos planos, e tudo isso não conta? Eu acho que vale a pena insistir em um namoro quando se tem respeito, carinho, companheirismo... Se não tem, junte suas coisas e vá embora, amiga. 

Vá embora porque a vida é linda lá fora, e até quando vamos ficar esperando o sapo virar príncipe encantado, quando se tem tantos outros príncipes, outros planos e outras histórias lá fora? Eu sei que o novo da medo, o novo assusta. Mas esse frio na barriga é necessário e é o que precede bons acontecimentos. E assim como pular de bungee jumping , na hora do desespero uma corda bem forte (sua família e seus amigos) estarão lá para te sustentar.


Gabi:
Até quando vale a pena chutar um, desculpem a expressão, cachorro morto? Isso trará o mesmo de volta à vida? Acho que não. Acredito que usando esse termo posso responder a pergunta. Gente, por mais que você tenha um carinho imenso pela pessoa, quando não dá certo, não dá e não dará. Você só vai remar ainda mais contra a maré, se cansar, para morrer na praia. A vida é muito mais, ela é cheia de possibilidades e novas pessoas. Insistir num erro é como se mutilar aos poucos. Claro, você deve sim tentar até onde puder, mas saiba reconhecer quando aquela página de vira ou o livro se acaba. É maduro reconhecer o final de algum relacionamento. Não só namoro.

Flávia:
Na minha opinião um relacionamento não vale mais a pena quando começa a te fazer sofrer, a te fazer mal. Quer dizer, todo namoro tem dias bons e dias ruins, porém quando houver mais dias ruins do que dias bons é prova de que algo não está certo. Há alguns anos, enquanto eu assistia Gossip Girl #sdds eu escutei uma frase que me marcou muito: "Como você pode chamar isso de amor, quando você mais chora do que sorri?". Quem disse isso foi o Dan para a Blair sobre a relação dela com o Chuck. E olha, eu super concordo com essa frase. Pra que ficar insistindo em algo que não está te fazendo bem sendo que você poderia estar por aí conhecendo outras pessoas, inclusive alguém especial? Comodismo? Medo de ficar sozinha? Amor? Ou será obsessão? Basicamente, eu acho que devemos sempre seguir em frente, porque a vida é muito curta para perder tempo com quem não vale a pena. E pra terminar deixou aqui um dos sábios conselhos do famoso pensador contemporâneo Barney Stinson: "new is always better".

Pat:
A partir do momento que você está dentro de um relacionamento, significa que você escolheu estar nele. Se você escolheu se relacionar, significa que você escolheu aquela pessoa para estar com você. Se você escolheu alguém, significa que você por um ou vários motivos ama a presença, a companhia, o abraço, o cheiro, enfim, a pessoa de um modo geral. E se ama, como pode desistir dela?

As vezes, eu fico me perguntando onde esses casais que dizem se amar tanto enfiam o amor quando o relacionamento acaba. Elas simplesmente desistem umas das outras e somem sem nem dizer tchau? Sei que as vezes as coisas não vão bem, a rotina cansa, o tempo desgasta... Mas sempre existem motivos para acreditar no amor, e principalmente na relação. Relacionamentos longos normalmente somam muito mais que amor, paixão e companheirismo. Rola respeito, admiração, amizade, carinho e uma porção de coisas que não daria para citar uma por uma. É nisso que devemos nos apegar na hora do desespero, quando o desanimo bater.

Na hora de somar até onde vale a pena insistir em uma relação, devemos olhar para o que há de bom, somar todos os sentimentos positivos, fazer a equação de todos os momentos de alegria e multiplicar os dias felizes ao lado daquela pessoa única. Subtraia a negatividade, esqueça as desconfianças e as mágoas antigas. Perdoa aquele atraso da semana passada, ou aquela mensagem na madrugada que não rolou. Preste mais atenção no que ele faz por você e não no que ele deixou de fazer. As vezes estamos tão preocupados idealizando um príncipe encantado que esquecemos de valorizar o "sapo" que temos. 

Insista! Persista e não desista! Antes de dizer adeus e admitir que é o fim, tenha plena certeza de que nenhum dos seus futuros e presentes planos incluem aquela determinada pessoa. De que de todos os seus sonhos ela não faz mais parte de nenhum. Além disso, é preciso estar pleno em relação ao sentimento, pois uma vez colocado um ponto final, nunca mais o relacionamento será o mesmo. Pois se alguém teve coragem o suficiente pra chegar ao fim uma vez, ela terá coragem novamente. 

Eu sou completamente a favor da insistência. Acho que todos relacionamentos merecem uma chance. Seja de namorados, amigos ou familiares. Insistir no que se ama nunca é perda de tempo, é sempre bom começar de novo, afinal se apaixonar pela mesma pessoa todos os dias e amar ainda mais quem a gente já ama é melhor ainda!

Minha opinião:
Acho que as meninas já falaram tudo e apresentaram ótimos argumentos pelos dois lados. Acho que tem que tentar, sim, o máximo que der. Tente, tente, tente. Mas saiba a hora de parar. Porque se precisou de tantas tentativas, é porque algo está errado. 

Uma vez vi um provérbio árabe que dizia mais ou menos o seguinte: "Se uma coisa aconteceu uma vez, ela pode não acontecer uma segunda. Se uma coisa aconteceu duas vezes, provavelmente acontecerá uma terceira". De qualquer forma, deixo aqui algumas dicas de leitura para deixar você mais tranquila para qualquer futura decisão. 



Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!
Twitter  ♥ Facebook ♥ Instagram ♥ Youtube

Papo calcinha #9 - Até quando vale a pena insistir em um namoro?

. 17/03/2015 .

Vocês lembram que eu contei aqui que estava participando do Welcome Correspondentes Kipling, não lembram? Para os mais esquecidos, a brincadeira foi uma forma (maravilhosa) da Kipling reunir as correspondentes mais velhas e promover uma interação com as novas donas do faixa do macaco. Eu contei mais sobre a brincadeira aqui e dei uma dica sobre quem eu tirei aqui. Caso vocês não tenham adivinhado, vou mostrar aqui nesse vídeo lindo quem tirou quem! ♥



Simmm! Eu tirei a linda da Tati Munhoz (miga de desabafos e achadinhos de 2013/14) e fui tirada pela Anna Larissa, do Console Cor-de-Rosa! Ela me presenteou com a Starlight maravilhosa que eu sempre fui apaixonada. Olha! 





Como montar um look para a balada com essa clutch seria fácil demais, eu resolvei montar um bem despojadinho para usar essa bolsa. Pelos brilhinhos e detalhe furta-cor, acho que a bolsa fica linda com qualquer tipo de roupa: da mais princesa até a mais mendiguinha-fashion. O que foi o caso do look que montei:

Ganha uma bala quem adivinhar que simmm, é o look que usei na TAG Harry Potter!
Como sempre, AMEI ter participado dessa ação tão linda! Agradeço sempre a Kipling pelo amor que eles tem com blogueiras e agradeço a oportunidade de conhecer tanta blogueira incrível. Já pode querer um #encontrão? ♥ 

Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!

Welcome Correspondentes Kipling - o resultado

. 16/03/2015 .

Diferentemente de Suzaninha, eu sou a pessoa mais calma e paciente do mundo. Posso ensinar a mesma coisa 10 vezes que, no máximo, vou fazer uma cara de cocô - mas nunca vou gritar ou rodar a baiana com alguém por algo do tipo. Quando vi esse meme como um dos temas do Rotaroots, fiquei até feliz. Uma porque posso complementar o meu projeto fantasma que é o "Criando Meu Blog", outra porque posso servir de ajuda para quem, de fato, está começando nesse mundo lindo e louco dos blogs. Vou dar 7 dicas bem gerais e sinceras sobre o assunto e espero que além de gostarem, que sirva para ajudá-los. A primeira dica, é claro, é...

#1- Não faça um blog para ganhar dinheiro
"Ai, todo mundo fala isso, mas todo mundo gosta de ganhar dinheiro com blog, nééé?", sim, mas se ele for o intuito principal, simplesmente não rola. Não rola porque suas postagens não serão pessoais e verdadeiras (como você fará posts pensando em um possível patrocínio, vai se moderar ou forçar para algo que seja apenas comercial) e porque blog não é isso em seu primeiro momento. Blog é aquele conceito que definiram lááá nos tempos de internet discada do IG: um diário virtual, ou seja, pessoal. Hoje você não precisa, necessariamente, documentar sua ida a quermesse da igreja do bairro, mas precisa colocar você em seu blog. Se não for você, por que vou ler? Vou atrás de um portal! 

#2- Por falar em personalidade... Seja você!
Sabe a musiquinha da Pitty? "Seja você, mesmo que seja estranho, bizarro!", pois é. Blogs como da Bruna Vieira e da Melina Souza deram certo? Isso é incrível, mas não pense que ao copiar o estilo delas você vai conseguir o mesmo sucesso. Elas se destacaram por serem diferentes do que as pessoas tinham acesso, então, não faz muito sentido copiar pessoas se você está no "mesmo local", não é mesmo? O mais legal que existe na gente é a nossa personalidade. Não existe ninguém no mundo igualzinha a você, então, por que não mostrar a ele o quanto você é incrível? 

#3- Não poste sobre o que todo mundo está postando (ou já postou)
Fazer delineador gatinho perfeito é realmente uma tarefa difícil, mas todo blog do mundo já ensinou a fazer. Seja com a regra dos pontinhos, seja com a fita crepe... Você acha, mesmo, que o seu post sobre um assunto tão batido, vai ser mais interessante que os demais? Pois é. Não rola, salvo as exceções de premiações, por exemplo, onde você dá o seu ponto de vista/crítica sobre algo. Aí é bacana. No mais: fuja do que todo mundo está falando, a não ser que sua opinião, de alguma forma, se destaque dentre as demais. 

#4- Preze pelo visual do blog. E não estou falando apenas do layout!
Layout é o rosto do seu blog. Se ele for desagradável, pode estragar a experiência do leitor. Por mais que os posts sejam maravilhosos, um blog todo "zoneado" vai deixar o leitor desanimado a voltar. Preze por textos alinhados, imagens com tamanho padronizado, fonte com boa visualização... E faça um layout do seu jeitinho, afinal, ele também expressa o que o você é, e ai voltamos ao 2º tópico.

#5- Poste com frequência. Mas nem tanto
Um post por dia é o ideal, mais que isso não. Minha opinião, é claro. Acho que devemos levar em consideração que o leitor não lê apenas o seu blog, e sim vááários outros. Imagina se ele vai ter tempo para ler mais de um post de um único blog por dia? Alguns blogs maiores até conseguem "segurar" essa frequência, mas se o seu está no começo, comece com um por dia, ou um post um dia sim e outro não.

#6- Leia e comente em outros blogs. Mas comente de verdade
Conhecer outros blogs é legal por vários motivos: você conhece pessoas novas, ideias novas e tem acesso a um conteúdo imensoooooo. Se curtir, comente. Ali você começa um relacionamento e uma verdadeira troca de ideias. Mas um aviso: comente de verdade, não comente apenas para querer um retorno em seu blog. Eu comento em blogs que realmente gosto e ás vezes comento textos imensos hahah. Ninguém merece um "adorei seu post, passa no meu?". Se isso irritava quando eu tinha 11 anos e um layout cor-de-rosa bevelado, imagina hoje?

#7- Leitores são LEITORES, não são fãs. Valorize-os
Eu tenho um nervoso de quem chama leitor de fã que vocês não têm ideia. E de quem se coloca em um pedestal imaginário? Olha, num dá! Se seus leitores gostam dos seus textos, consequentemente são pessoas parecidas, mesmo que em algumas poucas coisas, com você. Quer algo melhor do que conversar com pessoas que compartilham das mesmas opiniões que você? Sempre responda comentários, se não der pra seguir todo mundo nas redes sociais, esporadicamente dê uma fuçada, curta umas fotos, procure saber quem são as pessoas que tiram um tempinho do dia para ler suas palavras. Valorize-os. De verdade. ♥

* Essa postagem faz parte da blogagem coletiva Rotaroots. Para ler todas as blogagens da tag, clique aqui. Para fazer parte do rotation, clique aqui.

Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!

7 dicas sobre blogs para quem está começando

. 14/03/2015 .

Descobrir e desenvolver seu estilo próprio é uma forma de facilitar sua vida e aumentar a autoestima - post incrível das meninas do GWS sobre como é importante conhecer o nosso próprio estilo. Queria abraçar esse texto, sério! 

A beleza cool das irmãs da banda Haim - Adoro o estilo das meninas da banda Haim (como já até contei aqui), então não teve como não amar o post da Fê Pineda. 

10 ideias para economizar sem deixar a vida chata - Como contenção de gastos é meu nome esse ano, quis imprimir e pregar esse post, também da Fê Pineda, no meu espelho. 

Tutorial Snapchat: chega de ficar perdida no app da vez - Eu já tentei usar o Snapchat, mas não rolou, não curti. PORÉM, parece que ele veio pra ficar e se você quer aderir, a Bia te ensina como. 


Veja Ryan Gosling dançando com 12 anos de idade - vários amigos me marcaram nesse vídeo (ando com as pessoas certas, viu?) de mozinho Gosling-muso-desse-blog ralando o tcham de calça saruel. Vem ver!!!

Freebie: brushes manuscritos para blogueiros - A Silmara do Frescura Liberada disponibilizou brushes lindos para download lá no blog dela. Eu não só baixei, como até usei nesse post aqui. 

Sobre as manifestações do dia 15 - Mariny me deixou apaixonada por esse post que explica de uma forma simples, didática e com uma historiadora como fonte que não, migo, você não vai derrubar a Dilma e se, SE (!!!) acontecer, não é Aécim que assume não, tá? ♥ 

(ps: mozão Poynter esbanjando beleza nesse blog) 

Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!

Links maravilhosos da semana #10

. 13/03/2015 .

Eu não preciso discorrer sobre a importância que o WhatsApp tem na nossa vida, não é mesmo? Hoje, o aplicativo verdinho substitui SMS's, ligações e é a principal forma de comunicação de muita gente! Justamente por isso, pela sua importância e frequência de uso, que são necessárias algumas atitudes que não queimem o seu filme com as pessoas - principalmente para quem usa o aplicativo para conversar com chefes e clientes, por exemplo. Listei 5 "dicas de etiqueta" para cumprir no aplicativo. Não vai cair seu braço e, com certeza, as pessoas vão te ver como uma pessoa muito mais agradável.

1- Se quer contar algo que interessa apenas uma pessoa do grupo, chame-a no particular
Não existe nada mais chato quando duas pessoas começam a conversar sobre algo que só as duas podem opinar em um grupo com mais outras 15 pessoas. As notificações gritam, você acaba acompanhando o papo alheio e tudo fica extremamente chato.
O que fazer: chame SEMPRE a pessoa no particular. Vocês vão conversar do mesmo jeito, só que sem pessoas olhando e chamando vocês de insuportáveis mentalmente.

2- Não quer responder? Não visualize
Vi muitas montagens do tipo "leio e respondo se quiser". Ok, é claro que muitas vezes conseguimos dar uma espiada na mensagem e, se não for nada importante, deixamos para responder em um horário mais tranquilo, mas fazer isso como joguinho (ou algo do tipo) é de muito mau gosto.
O que fazer: quer ler sem deixar os "checks" azuis? Abra o aplicativo, espere as mensagens carregarem na "página inicial" (ou seja, na lista com todas as conversas) e coloque o celular em modo avião. Ai sim você consegue ler a conversa e não paga de chato para o amigo.

3- Tire o "visto pela última vez..."
Eu nem lembro quando foi que eu tirei, provavelmente quando eu estava solteira e ficava puta da vida com joguinho de algum carinha. Sério, acho que por isso durei só 4 meses solteira, não tenho paciência pra isso tipo de coisa hahahahah. Mas de qualquer forma, desativei e recebi muito menos cobranças. Se você desativar o last seen, você também não vê a última hora em que alguém entrou - e isso também é maravilhoso.

4- Não coloque nicks zoados
Eu mesma tinha como nome "Mih (emoji da lua)" e todo mundo adorava. Aí comecei a usar o WhatsApp profissionalmente e, inevitavelmente, o Mih engraçadinho virou "Michele Santos". Por mais que não seja nada demais, isso mostra ao cliente/chefe que você é uma pessoa séria e sabe utilizar os recursos tecnológicos para desempenhar bons serviços. Sério, tudo isso com um nome.

5- Não mande correntes
Essa era uma dica que o pessoal até aprendeu com o Orkut, mas com a morte do coitado, pareceram esquecer. Gente, corrente é chato independentemente da rede social ou aplicativo. Obrigada por me incluir na sua lista de "8 mulheres inspiradoras", por me mandar "a capivara da amizade" e tudo. Acho legal e até me divirto, mas tem pessoas que acham essas coisas insuportáveis - e as vezes, dependendo da frequência, é mesmo.
O que fazer: não mande.

Bônus: 6- Não seja o cara dos pornôs
Isso rola, em grande maioria, em grupos masculinos, mas não impede que você seja a mina dos pornôs. Nada contra quem vê/tem no celular/divulga (ÓBVIO que não estou falando sobre os vídeos de revenge porn, viu???), mas não seja a pessoa que nunca interage nos grupos e, quando aparece, é para compartilhar vídeos eróticos. E não é um: envia 15, um atrás do outro.
O que fazer: não mande. Ou mande com menos frequência. Ou interaja mais.

Curtiram? Me acharam muito cricri? Me conta tu-do! ☺

Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!

5 dicas de etiqueta no WhatsApp

. 12/03/2015 .

O cinema tem mais de cem anos de história e fazer uma lista com apenas dez filmes, mesmo que momentânea, é uma tarefa complicada, então resolvi me atentar a algumas coisas: 

O primeiro aspecto que levei em consideração foi como o cinema não só é uma ferramenta artística, como também pode ser popular - e por que não os dois? Talvez com exceção de Shotgun Stories, todos os filmes listados são conhecidos do grande publico e muitos até ganharam um quê folclórico, por assim dizer.

O segundo aspecto foi o tempo, gênero e a nacionalidade. Na questão do tempo, tentei não me adentrar em filmes muito antigos, como por exemplo os excepcionais Freaks, Pickpocket, Encouraçado Potenkin, Morangos Silvestres e tantos outros. 

Tentei colocar diversos gêneros. 007, Irreversível e The Big Lebowski são exemplos de filmes de ação, drama e comédia, nessa ordem. Há também uma animação (Spirited Away) que, vale ressaltar, não é tida como gênero - como muita gente costuma errar -, e sim como técnica.

Por nacionalidade, temos dois filmes franceses: Irréversible e Le charme discret de la bourgeoisie, um filme japonês, Spirited Away, e claro, um filme brasileiro: O Lobo Atrás da Porta. Algumas injustiças foram cometidas, o mundo todo faz cinema de qualidade. Outra injustiça é tantos e tantos diretores importantes não terem seu lugar ao sol nessa pequena, mas muito dedicada lista. Stanley Kubrick, Win Wenders, Akira Kurosawa, Ingmar Bergman, Andrei Tarkovski são só alguns nomes entre muitos diretores que a técnica ecoa através do tempo.

A lista não é sobre os melhores de todos os tempos, mas nem por isso ela tem menos importância. São dez deliciosos filmes que qualquer pessoa que preze pela sua vida terrena, e acha que ela vale alguma coisa, deveria assistir. Espero que gostem e bons filmes.

1- The Godfather (1972) - Francis Ford Copolla -(175min)


Talvez dessa lista, seja o filme que mais tem qualidade artística e ao mesmo tempo seja popular é o cultuado The Godfather. Sem exageros, nunca conheci alguém que não desfrutasse com imensa intensidade as quase três horas do cotidiano da família Corleone. Já fiz sessões para amigos de todos os tipos, desde o fã inveterado de comédia romântica, até os loucos por terror. Todos entraram em deleite com o Clássico de Francis Ford Copolla. 

2- Alien (1979) - Ridley Scott (117min)


Alien foi escolhido por motivos parecidos. É um grande ícone da cultura pop e, ao mesmo tempo, um clássico inquestionável. 

3- Spirited Away (Viagem de Chihiro) (2001) - Hayao Miyazaki (124min)


Viagem de Chihiro é uma animação do lendário studio Ghibli, que infelizmente está fechando as suas portas. Alguns filmes do estúdio são Meu vizinho Totoro, Reino dos Gatos, Castelo Animado e Princesa Mononoke.

4- Irréversible (2002) - Gaspar Noe (99min)


Irreversível talvez seja o filme mais polêmico dessa lista. Tem propositalmente uma atmosfera densa. O realizador, Gaspar Noe, sempre foi fã do teatro de sensações e, com êxito, empregou isso ao seus filmes. 

5- Le charme discret de la bourgeoisie (1972) - Luis Buñuel (102min)
(O discreto Charme da Burguesia)


O Discreto Charme da Burguesia é um dos filmes mais populares do aclamado diretor Luis Buñuel. É um filme, como muitos dele, que foca em zombar da sociedade. Sua comédia é ácida, embora sutil, e com o perdão do trocadilho, se faz tão discreta quanto o tal charme que a burguesia tem.

6- Shotgun Stories (2007) - Jeff Nichols (92min)


Não se engane pelo nome, Shotgun Stories é um filme delicioso de assistir. Traça um retrato de uma América que se acostumou com a cultura bélica, mostrando as desavenças entre duas famílias. 

7- 007 Cassino Royale (2006) - Martin Campbell (144min)


007 está na lista por três motivos. 1) a Michele nunca viu nenhum 007. 2) prova que um filme comercial pode ser visto e apreciado por um olhar critico. 3) ver gente atirando de smoking é legal pra caralho.

8- Superman (1978) - Richard Donner (143min)


Eu acho que quem não gosta do Superman nem viver merecia.

9- O Lobo Atrás da Porta (2014) - Fernando Coimbra (97min)


O lobo atrás da porta é o seu super trunfo quando alguém ignorante desferir "cinema nacional é uma merda". Outros filmes nacionais belíssimos merecem ser citados, como Elena, Estômago, O Som ao Redor, Era uma vez eu Verônica e muitos outros. O Pablo Vilaça, crítico brasileiro, listou 90 filmes nacionais essenciais lançados nos últimos dez anos, vale a pena conferir.

10- The Big Lebowski (1998) - Joel e Ethan Coen (119min)


The Big Lebowski é uma comédia dos irmãos Coen. Eu particularmente adoro a filmografia deles, desde quando assisti Queime Depois de Ler, sem  nem saber que era dos notórios irmãos. O que me chama atenção no Big Lebowski é como ele consegue dizer tanto com um filme que, a primeira vista, parece só uma comédia. É um filme sobre a vida e o cotidiano, montado em cima de personagens com arquétipos bem definidos - pra não dizer exagerados. É uma salada mista que vale a pena ser vista com um olhar clínico.
Sites para baixar os filmes:
http://tocadoscinefilos.net.br/
http://filmeshunter.com/
http://www.omelhordatelona.biz/
http://kickass.to/?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter
http://thepiratebay.se/
http://laranjapsicodelicafilmes.blogspot.com.br
http://sonatapremieres.blogspot.com.br/
http://www.downloadcult.com/
http://cinemacultura.com/
http://yify-torrents.com/
* O prazo para assistir os filmes, antes da próxima lista (com mais outros 10 títulos), é até o dia 10/04.

** Essa lista foi feita por um amigo que "não é nenhum crítico" (como ele gosta de frisar), mas é um verdadeiro apaixonado pela sétima arte. Ele preferiu não assinar o post. Gente misteriosa, sabe? Haha,

Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!

10 filmes para gostar (ainda) mais de cinema - Março

. 11/03/2015 .

Os anos dois-mil-e-tantos nunca foram tão anos 70. Pelo menos na moda. Coisas que nossas mães usavam, hoje estão nas nossas listas de desejo e, quanto mais "retrô" o visual for, mais incrível fica. Duas principais tendências da moda hoje (o normcore e o new-hippie) me levam a constatar que estamos querendo, mais que nunca, os anos 70 novamente. E eu não poderia querer mais! Meu maior ícone de estilo, musa inspiradora e "Deus, na próxima vida, me faz ser ela" é a Jane Birkin. Se você não a conhece, provavelmente a reconheceu pelo sobrenome - yeah, baby, a Birkin Bag existe por ela. Não, ela não é estilista. Ela deu nome a bolsa só porque é maravilhosa - e se uma pessoa tem a bolsa mais icônica do mundo batizada com seu nome, é óbvio que ela é maravilhosa. Senhoras e senhores... Jane Birkin! ♥ 


Jane Birkin nasceu na Inglaterra, tem 68 anos (sim, vai ter foto atual dela aqui também) e ela ficou muito famosa quando apareceu no filme Wonderwall - filme que teve a trilha composta por ninguém mais ninguém menos que George Harrison ♥. Alguns anos depois, na França, ela conheceu Serge Gainsbourg (foda, foda, foda) e participou da música Je t'aime moi non plus. Sim, você conhece a música. Dá o play.



A música causou maior alvoroço na época (imagina, né?) e os dois começaram o que seria o maior romance dos anos 70. Serio, que casal! Jane fala sobre Serge como seu "mentor criativo" e a relação deles pode ser bem vista dessa forma no filme (meu favorito da vida inteira, como já falei várias vezes aqui) Gainsbourg Vie Heroique. Desse relacionamento o que ganhamos, além de fotos maravilhosas e inspiração para a vida toda? A maravilhosa da Charlotte Gainsbourg, também muito citada aqui no MOBIC.


Mas como o foco do post é moda e a moda de Jane Birkin, separei algumas fotos de looks incríveis e super usáveis hoje em dia. Se você tinha alguma dúvida de que os anos 70 estão de volta, esse post vai acabar com todas elas.




Eu usaria todos, TOOOODOS os looks. Viram a quantidade de elementos que estão de volta? As botas over the knee, cintura alta, barriga de fora, top com franjas, blusa ciganinha, estampa étnica... Não é a toa que Birkin é um ícone e inspiração para todo mundo que goste, mesmo que de leve, de moda. 


Hoje, Jane deu uma despirocada desencanada de moda, mas sempre que se atreve a fazer algum trabalho, ele é bom. O último que não saiu da minha playlist foi essa música com o vocalista do Placebo. Vale o clique e vale acompanhar a carreira inteirinha da moça.



E aí? Curtiram conhecer um pouco mais do estilo da minha inspiração de vida? Ainda não consigo me decidir se queria ser ela ou a Audrey Hepburn, que inclusive, acho que merece um post desse tipo aqui. O que acham?

Beijo beijo ♥

Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!

Steal the look: Jane Birkin