Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2015

Cinco lições de vida para aprender com RuPaul's Drag Race

Imagem
Não lembro quando foi a primeira vez em que ouvi falar de RuPaul's Drag Race na vida, mas lembro de sempre ver a opção no meio dos programas da Netflix. Sempre passei direto, embora o nome me deixasse curiosa. Foi por causa de uma blogagem coletiva do Rotaroots que decidi começar a série e entender o que era o lipsync for your life, shantay you stay e a famosíssima Mama Ru. E foi amor forte, verdadeiro e duradouro. Vi a primeira e a segunda temporada sozinha, na terceira minha irmã viu comigo e a quarta e a quinta eu vejo com minha irmã e minha mãe. Somos apaixonadas pelas drags e pelo reality show mais glamuroso da atualidade. Mas não é só de plumas e paetês que RuPaul é resumido. O reality tem lições de vida valiosíssimas. Sim, gente! E é nessa vibe de tirar lições de absolutamente tudo que vejo, que fiz esse post.  5- Ser mulher é maravilhoso As queens realmente sabem o valor de ser mulher. Elas entendem a importância de um salto e como se vestir está ligado a nossa

La Douleur Exquise

Imagem
“I was free. But there was nothing exquisite about it”, Carrie Bradshaw, S02E12. Comecei a ver Sex And The City há pouco mais de um mês, mais precisamente, depois que terminei meu namoro. Me vejo demais na Carrie - as semelhanças são inúmeras, sério. A cada episódio era um pedacinho de mim que eu encontrava com um tom cômico e repleto de grifes famosas, mas esse episódio, o décimo segundo da segunda temporada, me desceu como uma bebida amarga. Era meu relacionamento.  Carrie sempre mendigou atenção do Big, que dizia que a amava. Era ela quem deveria se adaptar a ele. Era ela quem deveria esperá-lo. Era ela quem deveria entender que “ele era assim e pronto”. Era ela quem deveria largar mão de seus sonhos e do que considerava um relacionamento perfeito. Era ela quem deveria dar o braço a torcer. Era ela quem estava precisando ouvir palavras bonitas. Era ela quem queria que ele a assumisse. Era ela quem queria que ele desse a mesma importância que ela dava pra ele. Era eu. Era

Guia para blogueiros iniciantes #1 - Por que criar um blog?

Imagem
Foto: Shutterstock Gente, sumi quase uma semana, né? Isso porque era pra ser BEDA ... E pior: estou voltando com conteúdo chupinhado. Mas logo menos explico o porquê dessa ausência toda (embora as desculpas continuem as mesmas, como muito trabalho, pouco tempo e etc). Como falei nesse post aqui, desenvolvi um projetinho com dicas para blogueiros iniciantes. O segundo capítulo ainda não sei e, então, decidi reproduzir o primeiro aqui no blog, além do e-mail que estou enviando na medida  em que for produzindo. Espero que ajude e que colocá-lo aqui no blog não sirva apenas para tirar a poeira da página, mas principalmente, para clarear alguma ideia por aí.  Nesse primeiro capítulo nós vamos conversar. Sim, você e eu vamos falar sobre a importância de ter um blog. Vamos, sim, falar sobre a reaaaaaal importância (e não só credibilidade, fama, jabás e outras coisas que parecem ser super atraentes). Afinal, por que criar um blog? Vou te dar, pelo menos, três razões (que nã

E se fosse?

Imagem
"Sua vida não é um seriado", me disseram hoje em uma briga feia.  Respirei fundo. Infelizmente não era mesmo. Quando você assiste a muitas séries, inevitavelmente acha que sua vida também tem um roteiro. Que as coisas ruins estão acontecendo porque um season finale bombástico e maravilhoso te aguarda. Que as oportunidades que surgem são realmente suas, afinal, no seu roteiro ideal, todo o perrengue antecede uma grande conquista. Se a vida fosse um seriado, histórias de amor teriam finais felizes sempre, mesmo após um término de seis anos - esse término seria interrompido por uma ida ao aeroporto e um telefonema de "I got off the plane".  Se a vida fosse um seriado, o aperto no peito duraria até a próxima piada com gargalhadas de fundo. A música tema não faria você querer morrer de chorar, mas traria um sorriso leve no rosto com um flashback bonito e sem ressentimentos. Se a vida fosse um seriado, ressentimentos não existiriam, afinal, o protagonista

Nós aceitamos o amor que achamos merecer

Imagem
Atualmente, estou saindo direto com um amigo mais velho. Esse amigo não me dá conselhos: fala coisas na minha cara de uma forma que nunca falaram. Altos tapas na cara com luvas leves e com copos de chopp que amenizam a dor. A primeira vez em que falamos sobre coisas pessoais (até porque, até então, éramos colegas unidos por um amigo em comum) foi um evento com open bar de cerveja artesanal e eu estava bem lôca. Não sei como, mas entramos no assunto de relacionamentos. E então, no meio dessa conversa, ele falou.  "Mih, você já viu aquele filme " As Vantagens de Ser Invisível "? Tem uma frase que você tem que levar pra vida. Ele fala que a gente aceita o amor que achamos merecer. E essa frase faz todo o sentido do mundo".  Quando ele me falou isso, eu não só já tinha visto o filme como lido o livro . E mesmo já tendo refletido sobre isso algumas vezes, nunca aquela frase me serviu tanto como tapa na cara. Ali eu estava em uma fase bem ruim no meu relac

5 lições para aprender com The OC

Imagem
The OC foi a "minha primeira série". Eu assistia aos domingos no SBT quando ia para a casa do meu pai. Achava incrível aquilo que ao mesmo tempo em que me lembrava Malhação, era tão mais incrível e dramático que me prendia de um jeito que nem a Vagabanda conseguiu. Eu devia ter 11 anos quando comecei a ver a série e, depois disso, o amor só cresceu e por mais que outras séries viessem a ocupar meu cargo de favorita (tipo Gossip Girl), o amor por The OC sempre esteve ali. E então, no ano passado, comecei a rever essa série maravilhosa que, a cada episódio revisto, me fazia lembrar o porquê de amá-la tanto. Então, como terminei de reassistir* e fiquei com vontade de fazer um post sobre ela, vou colocar aqui 5 lições que você aprende (querendo ou não) com The OC:  5- A vida é uma caixinha de surpresas Por mais que sua vida pareça estável, por mais que as coisas pareçam que não vão melhorar, por mais que pareça que você já sabe sua história do começo ao fim, você não

Resumo da semana #2

Imagem
Sendo tia ♥  Estranho fazer um resumo da semana na terça-feira, mas como preciso fazer o post do BEDA , vai na terça mesmo. Vou fazer no mesmo esqueminha desse post aqui, assim, fica mais simples e pessoal. Estou meio desanimada nesses últimos dias, to meio existindo apenas, sabe? Não sei se já passaram por isso. Aquele estágio em que você olha pra si mesmo e não sabe se está vivendo, existindo, na Matrix... hahahah mas nessa semana eu até fiz algumas coisas legais. Renderam até fotinhas. Vamos começar.  Lendo... Estou meio relaxada. Há umas semanas eu comecei o meu Como Ser Uma Parisiense em Qualquer Lugar do Mundo e achei ele incrível hahaha bem divertido. Não terminei porque peguei Admirável Mundo Novo (muito, muito bom!) mas também não continuei a leitura. Estou lendo os dois, ao mesmo tempo, e a passos de tartaruga. Mas quem nunca? Pelo menos estou lendo algo haha.  Ouvindo... Meu Deus, quero começar esse parágrafo com um questionamento que não me deixa em

We luv descontos: conheça o Cuponkit

Imagem
Vocês sabem que aqui no blog eu prezo muito por baratezas, certo? Já falei em alguns posts o quanto adoro garimpar coisas em lojinhas online ou fazer aquele achado de comprar algo incrível em uma super promoção. Se você acompanha o blog, sabe que meu negócio é gastar pouco, por isso, sempre estou em busca de novas opções para poupar o meu rico dinheiro, mas também ficar com guarda-roupas com peças que eu realmente amo. Justamente por saber economizar é que estou aqui para falar do Cuponkit , um site de cupons de desconto para as maiores lojas online do Brasil.  Para uma breve contextualização, o Cuponkit tem, hoje, parceria com mais de mil lojas virtuais do Brasil, entre elas a Dafiti , Americanas, Schutz , Casas Bahia, Ponto Frio , Magazine Luiza, enfim! São várias lojas que você conseguir um descontinho amigo pelo site do grupo! Para procurar esses descontos, basta entrar no Cuponkit.com e clicar na loja que deseja. Ali você terá acesso a diversos planos que dão descon

Coisas que marcam: O dia em que levei um capotão

Imagem
O BEDA , pra mim, está sendo mais que um desafio de postar todos os dias: está sendo a prova de que perdi totalmente o pudor e a vergonha de postar nesse blog. Sério, depois desse post ( e desse aqui ), não teremos mais amarras e estaremos muito íntimos, porque o que vou contar hoje, meu Deus, é uma das maiores humilhações da minha vida hahahaha. Sério, gente. Existe coisa mais humilhante que você cair em público? Ainda mais na frente da faculdade? Na frente de dois caras gatos? Esparramando todas as suas coisas? Também acho que não, mas vamos contar a história que tive coragem de contar porque fiquei inspirada pelos posts da Carol . Era uma quarta-feira. Eu me lembro como se fosse ontem. Estava em um novo emprego fazia, no máximo, um mês. Naquela época, estava trabalhando no departamento de Marketing da minha faculdade. Ficava lá de manhã, almoçava em 20 minutos e voava para outro estágio, no jornal local. Como se não fosse corrido o suficiente, foi logo quando comecei a tomar

Coisas para fazer em um domingo flopado

Imagem
Foto: Shutterstock Aproveitando o sucesso de um post similar (só que era no sábado) e também o fato de que meus pais foram comer fora, eu esqueci completamente que hoje era Dia dos Pai s (para falar a verdade, nem ligo muito para essa data porque mal convivo com meu pai de verdade) e fiquei sozinha em casa. Gosto de ficar sozinha em casa - gosto não, amo! - então fiz meio que mentalmente uma lista de coisas que vou fazer nesse dia tão sossegado. Como sei que alguns de vocês também vão praticar a deboísse nesse domingão, vim com algumas sugestões para driblar esse dia naturalmente flopado.  1- Dedique-se aos seus livros interativos Você com certeza se rendeu aos livros interativos, nem que seja um deles! Eu tenho três (o Destrua Esse Diário, Uma Página de Cada Vez e o Listografia, que ganhei de presente do Oda porque, segundo ele, é minha cara - me conhece pouco né?). Como o tempo é um problema para 99% das pessoas nos dias de hoje, esses livros foram preenchidos até a

5 músicas do 1989 que poderiam virar single

Imagem
Recentemente, acho que na quarta-feira, Taylor Swift (também c onhecida como Michele Priscila , nas horas vagas) divulgou o próximo single de 1989 : Wildest Dreams. Fiquei puta da vida. Não que eu não goste da música, muito pelo contrário: adoro. Mas é que o 1989 é tão maravilhoso e tem tantas músicas melhores que acho um desperdício ela não lançar as outras, que serão citadas aqui, logo. Just wanted to let you know that the next single from 1989 will be........... Wildest Dreams. — Taylor Swift (@taylorswift13) August 5, 2015 Inclusive, acho Bad Blood uma das mais chatinhas do álbum e ela fez estardalhaço todo (como citei aqui no blog também) e nem aproveitou direito Style, que é uma das minhas músicas favoritas e o clipe é in-crí-vel. Como sou dessas que gosta de dar opiniões até quando ela não é pedida, fiz aqui uma lista com outras cinco músicas que poderiam ser single antes de Wildest Dreams.  5- I Know Places Gosto muito de I Know Places e acho que ela

23 coisas que aprendi em 23 anos

Imagem
Foto: Shutterstock A Bessie fez um post tão lindo assim que, como estava um pouco sem ideias para o BEDA , resolvi fazer também. Por mais que minhas metas de vida ainda estejam um pouco longe de serem concretizadas, não dá para dizer que não aprendi nada nesse tempo todo. Muito pelo contrário: aprendi muitas coisas e confesso que foi até difícil escolher apenas 23. Mas como a proposta é elencar de acordo com meus anos de idade, vamos lá.  1- Ninguém nunca vai mudar por você  2- Se você odeia comida japonesa e insistir, vai ficar apaixonado e não vai viver sem 3- As coisas só vão acontecer se você for atrás 4- Um dia você vai parar de se importar com a opinião dos outros. Pelo menos um pouco 5- Ouvir música ruim é maravilhoso 6- É possível tomar uma dose de tequila sem morrer do coração 7- Pessoas saem das nossas vidas sem avisar 8- Você vai ter muitos melhores amigos durante a vida 9- Mulheres não são inimigas e juntas são bem ma

Maldita Sorte; os meus relacionamos e como sou o cara do filme

Imagem
Você já assistiu ao filme " Maldita Sorte "? É, eu também não. Mas minha melhor amiga assistiu e, associando-o a um dos meus melhores amigos, ela me contou o enredo do filme. Basicamente, é uma comédia romântica sobre um cara que tem uma "maldição": toda mulher que namora com ele, termina e se casa logo em seguida. Ou seja, seus relacionamentos não duram e o de suas parceiras duram com a pessoa seguinte. Sei que no filme tem a Jessica Alba, as mulheres descobrem essa maldição e começam a querer se envolver com ele só para casarem em seguida e, muito provavelmente, é a própria Jessica Alba quem quebra o encanto, enfim. Comédia romântica, a gente sabe como é. Mas por que eu falei sobre esse filme? Porque eu poderia protagonizá-lo. Vamos a uma breve história dos meus relacionamentos amorosos.  Eu tive o primeiro namorado com 16 anos, mas foi namorinho bobinho, afinal, éramos muito novinhos de qualquer forma e eu muito, muito menininha imatura, por isso, ele

5 vezes em que músicas falaram por mim

Imagem
Acordei mais cedo, antes de ir para o trabalho, apenas para atualizar o blog para o quarto dia de BEDA (tudo isso para não quebrar a corrente, como diriam meus amigos Fresno). E é por falar em música, Fresno e bandas que eu gosto que esse post nasceu. Na verdade, esse também estava salvo no rascunho há alguns milênios, então, foi sussa: só atualizei algumas músicas e me expus mais um pouquinho, porque blog é pra isso mesmo né mores? haha. Eu sou uma pessoa muito "musical", me expresso muito por músicas. Deus não me deu o talento do canto ou de tocar instrumentos, mas me deu bons ouvidos e um ótimo gosto musical, modéstia à parte. Sendo assim, essa mini playlist de cinco músicas, além de ser bem pessoal, é maravilhosa. E duvido que você não vá se apaixonar por pelo menos uma dessas músicas. 1- Assinado eu - Tiê Tiê é uma maravilhosa. Conheci a cantora há uns três anos e foi amor a primeira nota. Quando terminei o meu segundo namoro, a vida me colocou para ouvir &q

Cinco lições de vida para aprender com RuPaul's Drag Race

Imagem
Não lembro quando foi a primeira vez em que ouvi falar de RuPaul's Drag Race na vida, mas lembro de sempre ver a opção no meio dos programas da Netflix. Sempre passei direto, embora o nome me deixasse curiosa. Foi por causa de uma blogagem coletiva do Rotaroots que decidi começar a série e entender o que era o lipsync for your life, shantay you stay e a famosíssima Mama Ru. E foi amor forte, verdadeiro e duradouro. Vi a primeira e a segunda temporada sozinha, na terceira minha irmã viu comigo e a quarta e a quinta eu vejo com minha irmã e minha mãe. Somos apaixonadas pelas drags e pelo reality show mais glamuroso da atualidade. Mas não é só de plumas e paetês que RuPaul é resumido. O reality tem lições de vida valiosíssimas. Sim, gente! E é nessa vibe de tirar lições de absolutamente tudo que vejo, que fiz esse post.  5- Ser mulher é maravilhoso As queens realmente sabem o valor de ser mulher. Elas entendem a importância de um salto e como se vestir está ligado a nossa

La Douleur Exquise

Imagem
“I was free. But there was nothing exquisite about it”, Carrie Bradshaw, S02E12. Comecei a ver Sex And The City há pouco mais de um mês, mais precisamente, depois que terminei meu namoro. Me vejo demais na Carrie - as semelhanças são inúmeras, sério. A cada episódio era um pedacinho de mim que eu encontrava com um tom cômico e repleto de grifes famosas, mas esse episódio, o décimo segundo da segunda temporada, me desceu como uma bebida amarga. Era meu relacionamento.  Carrie sempre mendigou atenção do Big, que dizia que a amava. Era ela quem deveria se adaptar a ele. Era ela quem deveria esperá-lo. Era ela quem deveria entender que “ele era assim e pronto”. Era ela quem deveria largar mão de seus sonhos e do que considerava um relacionamento perfeito. Era ela quem deveria dar o braço a torcer. Era ela quem estava precisando ouvir palavras bonitas. Era ela quem queria que ele a assumisse. Era ela quem queria que ele desse a mesma importância que ela dava pra ele. Era eu. Era

Guia para blogueiros iniciantes #1 - Por que criar um blog?

Imagem
Foto: Shutterstock Gente, sumi quase uma semana, né? Isso porque era pra ser BEDA ... E pior: estou voltando com conteúdo chupinhado. Mas logo menos explico o porquê dessa ausência toda (embora as desculpas continuem as mesmas, como muito trabalho, pouco tempo e etc). Como falei nesse post aqui, desenvolvi um projetinho com dicas para blogueiros iniciantes. O segundo capítulo ainda não sei e, então, decidi reproduzir o primeiro aqui no blog, além do e-mail que estou enviando na medida  em que for produzindo. Espero que ajude e que colocá-lo aqui no blog não sirva apenas para tirar a poeira da página, mas principalmente, para clarear alguma ideia por aí.  Nesse primeiro capítulo nós vamos conversar. Sim, você e eu vamos falar sobre a importância de ter um blog. Vamos, sim, falar sobre a reaaaaaal importância (e não só credibilidade, fama, jabás e outras coisas que parecem ser super atraentes). Afinal, por que criar um blog? Vou te dar, pelo menos, três razões (que nã

E se fosse?

Imagem
"Sua vida não é um seriado", me disseram hoje em uma briga feia.  Respirei fundo. Infelizmente não era mesmo. Quando você assiste a muitas séries, inevitavelmente acha que sua vida também tem um roteiro. Que as coisas ruins estão acontecendo porque um season finale bombástico e maravilhoso te aguarda. Que as oportunidades que surgem são realmente suas, afinal, no seu roteiro ideal, todo o perrengue antecede uma grande conquista. Se a vida fosse um seriado, histórias de amor teriam finais felizes sempre, mesmo após um término de seis anos - esse término seria interrompido por uma ida ao aeroporto e um telefonema de "I got off the plane".  Se a vida fosse um seriado, o aperto no peito duraria até a próxima piada com gargalhadas de fundo. A música tema não faria você querer morrer de chorar, mas traria um sorriso leve no rosto com um flashback bonito e sem ressentimentos. Se a vida fosse um seriado, ressentimentos não existiriam, afinal, o protagonista

Nós aceitamos o amor que achamos merecer

Imagem
Atualmente, estou saindo direto com um amigo mais velho. Esse amigo não me dá conselhos: fala coisas na minha cara de uma forma que nunca falaram. Altos tapas na cara com luvas leves e com copos de chopp que amenizam a dor. A primeira vez em que falamos sobre coisas pessoais (até porque, até então, éramos colegas unidos por um amigo em comum) foi um evento com open bar de cerveja artesanal e eu estava bem lôca. Não sei como, mas entramos no assunto de relacionamentos. E então, no meio dessa conversa, ele falou.  "Mih, você já viu aquele filme " As Vantagens de Ser Invisível "? Tem uma frase que você tem que levar pra vida. Ele fala que a gente aceita o amor que achamos merecer. E essa frase faz todo o sentido do mundo".  Quando ele me falou isso, eu não só já tinha visto o filme como lido o livro . E mesmo já tendo refletido sobre isso algumas vezes, nunca aquela frase me serviu tanto como tapa na cara. Ali eu estava em uma fase bem ruim no meu relac

5 lições para aprender com The OC

Imagem
The OC foi a "minha primeira série". Eu assistia aos domingos no SBT quando ia para a casa do meu pai. Achava incrível aquilo que ao mesmo tempo em que me lembrava Malhação, era tão mais incrível e dramático que me prendia de um jeito que nem a Vagabanda conseguiu. Eu devia ter 11 anos quando comecei a ver a série e, depois disso, o amor só cresceu e por mais que outras séries viessem a ocupar meu cargo de favorita (tipo Gossip Girl), o amor por The OC sempre esteve ali. E então, no ano passado, comecei a rever essa série maravilhosa que, a cada episódio revisto, me fazia lembrar o porquê de amá-la tanto. Então, como terminei de reassistir* e fiquei com vontade de fazer um post sobre ela, vou colocar aqui 5 lições que você aprende (querendo ou não) com The OC:  5- A vida é uma caixinha de surpresas Por mais que sua vida pareça estável, por mais que as coisas pareçam que não vão melhorar, por mais que pareça que você já sabe sua história do começo ao fim, você não

Resumo da semana #2

Imagem
Sendo tia ♥  Estranho fazer um resumo da semana na terça-feira, mas como preciso fazer o post do BEDA , vai na terça mesmo. Vou fazer no mesmo esqueminha desse post aqui, assim, fica mais simples e pessoal. Estou meio desanimada nesses últimos dias, to meio existindo apenas, sabe? Não sei se já passaram por isso. Aquele estágio em que você olha pra si mesmo e não sabe se está vivendo, existindo, na Matrix... hahahah mas nessa semana eu até fiz algumas coisas legais. Renderam até fotinhas. Vamos começar.  Lendo... Estou meio relaxada. Há umas semanas eu comecei o meu Como Ser Uma Parisiense em Qualquer Lugar do Mundo e achei ele incrível hahaha bem divertido. Não terminei porque peguei Admirável Mundo Novo (muito, muito bom!) mas também não continuei a leitura. Estou lendo os dois, ao mesmo tempo, e a passos de tartaruga. Mas quem nunca? Pelo menos estou lendo algo haha.  Ouvindo... Meu Deus, quero começar esse parágrafo com um questionamento que não me deixa em

We luv descontos: conheça o Cuponkit

Imagem
Vocês sabem que aqui no blog eu prezo muito por baratezas, certo? Já falei em alguns posts o quanto adoro garimpar coisas em lojinhas online ou fazer aquele achado de comprar algo incrível em uma super promoção. Se você acompanha o blog, sabe que meu negócio é gastar pouco, por isso, sempre estou em busca de novas opções para poupar o meu rico dinheiro, mas também ficar com guarda-roupas com peças que eu realmente amo. Justamente por saber economizar é que estou aqui para falar do Cuponkit , um site de cupons de desconto para as maiores lojas online do Brasil.  Para uma breve contextualização, o Cuponkit tem, hoje, parceria com mais de mil lojas virtuais do Brasil, entre elas a Dafiti , Americanas, Schutz , Casas Bahia, Ponto Frio , Magazine Luiza, enfim! São várias lojas que você conseguir um descontinho amigo pelo site do grupo! Para procurar esses descontos, basta entrar no Cuponkit.com e clicar na loja que deseja. Ali você terá acesso a diversos planos que dão descon

Coisas que marcam: O dia em que levei um capotão

Imagem
O BEDA , pra mim, está sendo mais que um desafio de postar todos os dias: está sendo a prova de que perdi totalmente o pudor e a vergonha de postar nesse blog. Sério, depois desse post ( e desse aqui ), não teremos mais amarras e estaremos muito íntimos, porque o que vou contar hoje, meu Deus, é uma das maiores humilhações da minha vida hahahaha. Sério, gente. Existe coisa mais humilhante que você cair em público? Ainda mais na frente da faculdade? Na frente de dois caras gatos? Esparramando todas as suas coisas? Também acho que não, mas vamos contar a história que tive coragem de contar porque fiquei inspirada pelos posts da Carol . Era uma quarta-feira. Eu me lembro como se fosse ontem. Estava em um novo emprego fazia, no máximo, um mês. Naquela época, estava trabalhando no departamento de Marketing da minha faculdade. Ficava lá de manhã, almoçava em 20 minutos e voava para outro estágio, no jornal local. Como se não fosse corrido o suficiente, foi logo quando comecei a tomar

Coisas para fazer em um domingo flopado

Imagem
Foto: Shutterstock Aproveitando o sucesso de um post similar (só que era no sábado) e também o fato de que meus pais foram comer fora, eu esqueci completamente que hoje era Dia dos Pai s (para falar a verdade, nem ligo muito para essa data porque mal convivo com meu pai de verdade) e fiquei sozinha em casa. Gosto de ficar sozinha em casa - gosto não, amo! - então fiz meio que mentalmente uma lista de coisas que vou fazer nesse dia tão sossegado. Como sei que alguns de vocês também vão praticar a deboísse nesse domingão, vim com algumas sugestões para driblar esse dia naturalmente flopado.  1- Dedique-se aos seus livros interativos Você com certeza se rendeu aos livros interativos, nem que seja um deles! Eu tenho três (o Destrua Esse Diário, Uma Página de Cada Vez e o Listografia, que ganhei de presente do Oda porque, segundo ele, é minha cara - me conhece pouco né?). Como o tempo é um problema para 99% das pessoas nos dias de hoje, esses livros foram preenchidos até a

5 músicas do 1989 que poderiam virar single

Imagem
Recentemente, acho que na quarta-feira, Taylor Swift (também c onhecida como Michele Priscila , nas horas vagas) divulgou o próximo single de 1989 : Wildest Dreams. Fiquei puta da vida. Não que eu não goste da música, muito pelo contrário: adoro. Mas é que o 1989 é tão maravilhoso e tem tantas músicas melhores que acho um desperdício ela não lançar as outras, que serão citadas aqui, logo. Just wanted to let you know that the next single from 1989 will be........... Wildest Dreams. — Taylor Swift (@taylorswift13) August 5, 2015 Inclusive, acho Bad Blood uma das mais chatinhas do álbum e ela fez estardalhaço todo (como citei aqui no blog também) e nem aproveitou direito Style, que é uma das minhas músicas favoritas e o clipe é in-crí-vel. Como sou dessas que gosta de dar opiniões até quando ela não é pedida, fiz aqui uma lista com outras cinco músicas que poderiam ser single antes de Wildest Dreams.  5- I Know Places Gosto muito de I Know Places e acho que ela

23 coisas que aprendi em 23 anos

Imagem
Foto: Shutterstock A Bessie fez um post tão lindo assim que, como estava um pouco sem ideias para o BEDA , resolvi fazer também. Por mais que minhas metas de vida ainda estejam um pouco longe de serem concretizadas, não dá para dizer que não aprendi nada nesse tempo todo. Muito pelo contrário: aprendi muitas coisas e confesso que foi até difícil escolher apenas 23. Mas como a proposta é elencar de acordo com meus anos de idade, vamos lá.  1- Ninguém nunca vai mudar por você  2- Se você odeia comida japonesa e insistir, vai ficar apaixonado e não vai viver sem 3- As coisas só vão acontecer se você for atrás 4- Um dia você vai parar de se importar com a opinião dos outros. Pelo menos um pouco 5- Ouvir música ruim é maravilhoso 6- É possível tomar uma dose de tequila sem morrer do coração 7- Pessoas saem das nossas vidas sem avisar 8- Você vai ter muitos melhores amigos durante a vida 9- Mulheres não são inimigas e juntas são bem ma

Maldita Sorte; os meus relacionamos e como sou o cara do filme

Imagem
Você já assistiu ao filme " Maldita Sorte "? É, eu também não. Mas minha melhor amiga assistiu e, associando-o a um dos meus melhores amigos, ela me contou o enredo do filme. Basicamente, é uma comédia romântica sobre um cara que tem uma "maldição": toda mulher que namora com ele, termina e se casa logo em seguida. Ou seja, seus relacionamentos não duram e o de suas parceiras duram com a pessoa seguinte. Sei que no filme tem a Jessica Alba, as mulheres descobrem essa maldição e começam a querer se envolver com ele só para casarem em seguida e, muito provavelmente, é a própria Jessica Alba quem quebra o encanto, enfim. Comédia romântica, a gente sabe como é. Mas por que eu falei sobre esse filme? Porque eu poderia protagonizá-lo. Vamos a uma breve história dos meus relacionamentos amorosos.  Eu tive o primeiro namorado com 16 anos, mas foi namorinho bobinho, afinal, éramos muito novinhos de qualquer forma e eu muito, muito menininha imatura, por isso, ele

5 vezes em que músicas falaram por mim

Imagem
Acordei mais cedo, antes de ir para o trabalho, apenas para atualizar o blog para o quarto dia de BEDA (tudo isso para não quebrar a corrente, como diriam meus amigos Fresno). E é por falar em música, Fresno e bandas que eu gosto que esse post nasceu. Na verdade, esse também estava salvo no rascunho há alguns milênios, então, foi sussa: só atualizei algumas músicas e me expus mais um pouquinho, porque blog é pra isso mesmo né mores? haha. Eu sou uma pessoa muito "musical", me expresso muito por músicas. Deus não me deu o talento do canto ou de tocar instrumentos, mas me deu bons ouvidos e um ótimo gosto musical, modéstia à parte. Sendo assim, essa mini playlist de cinco músicas, além de ser bem pessoal, é maravilhosa. E duvido que você não vá se apaixonar por pelo menos uma dessas músicas. 1- Assinado eu - Tiê Tiê é uma maravilhosa. Conheci a cantora há uns três anos e foi amor a primeira nota. Quando terminei o meu segundo namoro, a vida me colocou para ouvir &q