Você já assistiu ao filme "Maldita Sorte"? É, eu também não. Mas minha melhor amiga assistiu e, associando-o a um dos meus melhores amigos, ela me contou o enredo do filme. Basicamente, é uma comédia romântica sobre um cara que tem uma "maldição": toda mulher que namora com ele, termina e se casa logo em seguida. Ou seja, seus relacionamentos não duram e o de suas parceiras duram com a pessoa seguinte. Sei que no filme tem a Jessica Alba, as mulheres descobrem essa maldição e começam a querer se envolver com ele só para casarem em seguida e, muito provavelmente, é a própria Jessica Alba quem quebra o encanto, enfim. Comédia romântica, a gente sabe como é. Mas por que eu falei sobre esse filme? Porque eu poderia protagonizá-lo. Vamos a uma breve história dos meus relacionamentos amorosos. 


Eu tive o primeiro namorado com 16 anos, mas foi namorinho bobinho, afinal, éramos muito novinhos de qualquer forma e eu muito, muito menininha imatura, por isso, ele nem entra nessa contagem - e hoje é o único "ex" que não me bloqueou, não me odeia e ainda nos falamos e nos amamos como bons grandes amigos. O segundo namorado, ou seja, primeiro namorado de verdade, era um dos meus melhores amigos e começamos a namorar quando eu tinha 17 anos. Ficamos juntos até meus quase 20. Senta que a história vai começar. 

Meu primeiro namorado, o R, era engraçado. Era o Chandler de Friends. Sério, até as expressões faciais eram as mesmas, as piadas idênticas e até uma situação envolvendo um pombo era igual. Chegava a dar medo. Enfim. Nos dávamos bem, na maioria das vezes. Ele era pisciano e isso é sempre um problema (pelo menos comigo). Nosso namoro durou três anos. TRÊS ANOS. Ele era bonito, engraçado, todos os meus amigos e amigas eram apaixonados por ele, mas de repente eu tive um estalo e falei "Nhééééé. Não". Foi apenas isso. Eu era novinha, terminei com quase 20 e mesmo com muita dor no coração, falei "Vamos viver os novos capítulos". Terminamos. R ficou um tempinho solteiro, mas em coisas de meses encontrou uma namorada (que, pasme, tem o mesmo nome que eu haha - as tias nunca cometerão gafes! haah) e que é, definitivamente, a alma gêmea dele. SÉRIO. 


Os dois gostam das mesmas coisas: músicas, jogos, eventos medievais com cosplay. Sério, nem tive muito contato nem nada, mas da pra ver a sintonia, sabe? Aposto que ela nem fica puta por ele não querer sair no final de semana pra jogar RPG de mesa com os amigos (eu ficava possuída, queria matar o infeliz!!!!!!). Resultado: estão juntos há pelo menos uns três anos. Depois de mim. 

- Ai Michele, isso acontece, uai! 

Mas aí vamos para o meu segundo namoro!

Meu segundo namoro foi o mais sussa entre os meus três. Se contarmos com o Vic, o primeiro namoradinho, vamos ter a estranha coincidência de eu ter namorado um geminiano > um pisciano > um geminiano e um pisciano hahahaha adivinhem os namoros com menos brigas e rolos. Pois bem, voltando ao assunto, o segundo namorado, o C (fiquei em dúvida entre colocar a inicial do nome de verdade, do apelido ou de como ele era chamado pela família. Coloquei do apelido porque eu o apresentava como tal haha) era um fofo. Fofo é a palavra, sério! Não era muito de conversar, não tínhamos muitas coisas em comum (quer dizer, tínhamos um gosto aproximado para série - comecei a ver Supernatural por causa dele e me apaixonei enlouquecidamente por Red Hot por indicação dele. Mas só), e ainda assim o relacionamento foi bem legal. Durou pouco mais de 1 ano (1 ano e 3 meses, acho), mas foi tudo muito tranquilo. A mesma coisa aconteceu: de repente me deu um estalo e falei "quero ser solteira, quero conhecer outras pessoas". Vocês podem me achar meio filha da puta. Ou atribuir isso ao fato de eu ser geminiana com ascendente em sagitário, mas eu não consegui lidar. Sério, eu tentei, mas de repente me senti com um nó na gargante e terminei. 


Adivinhem o que aconteceu, queridas. 

C ficou um tempinho-inho solteiro e arrumou uma namorada A CARA dele. Ele é imenso de alto, a mina é imensa de alta. Ele é todo fissurado em academia, a mina tem um corpaço. Ele sempre gostou de loiras, a mina é loira. Ele gostava de demonstrações públicas de afeto do tipo "colocar foto do casal na capa do Facebook" (não né mores?) E ELA COLOCA E AINDA PÕE LEGENDA FOFA!!! Gente, sério, é a alma gêmea do cara e eles estão aí há quase dois anos juntos.


Ainda me diz que é coincidência?

Não demorou nadinha para eu lembrar da conversa que tive com minha amiga (a citada lá em cima) e pensar que eu sou o cara do filme. Sou eu quem tenho a maldição de fazer os boys acharem suas almas gêmeas depois de um namoro comigo.

Depois do C, fiquei quatro meses solteira e, depois, namorei dois anos. Achava que era o cara da minha vida. "AGORA VAAAAAAI!", eu dizia para os amigos no primeiro mês de namoro com toda a empolgação do mundo. E acreditei nisso.

Mas acabou.

De novo. 


Eu pretendo, realmente, ficar sozinha por um bom tempo. Nesse tempo todo, desde os 16 anos, sempre atrelei minhas expectativas de vida, planos, metas e vontades a outras pessoas. Eu nunca fiquei sozinha de verdade. Há anos eu não sabia o que era dormir sem ter uma mensagem - e aprender a atribuir meu humor e bem-estar única e exclusivamente a mim não está sendo assim tão fácil, mas está sendo importantíssimo para meu desenvolvimento pessoal. Afinal, se tem uma coisa que RuPaul me ensinou, é que se a gente não ama a si mesma, COMÉ QUE VAMO AMÁ OUTRA PESSOA, né cacete?


Eu espero sim conhecer alguém que, também, me jogue para "o cara da minha vida", como sem querer fiz com meus ex-namorados (sou muito Ted Mosby). Mas enquanto o encanto não me pega, vou aprendendo a viver comigo mesma. Afinal, segundo a minha ordem de relacionamentos baseada no zodíaco sendo de gêmeos, peixes, gêmeos, peixes... O meu próximo relacionamento, de qualquer forma, é com um geminiano. E quer mais geminiana que eu mesma?


Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!