Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2016

em um relacionamento sério com o bb blur, da la roche-posay

Imagem
Pois é, amigas e amigos, vivemos para ver Michelinha fazendo resenha de produto de beleza nesse blog. Quer dizer, há alguns anos, eu até tentei uma coisinha ou outra, mas eu assumi para mim mesma que não entendia nada sobre o assunto e larguei mão. Troquei as bases pelos textos sobre meus problemas e fiquei muito mais feliz - se é que isso faz sentido. Pois bem, como contei no mês passado , a Kutiz me mandou recebidos e, depois do post, mandou mais - coisa linda, gente! - e um dos produtos enviados fez o meu coração bater mais forte, o mundo ganhar uma nova paleta de cores e, de repente, pensei que minha vida estivesse sendo dirigida pelo  Wes Anderson . Foi amor. O Effaclar BB Blur , da La Roche-Posay me pegou de jeito e abri mão de qualquer outro casinho com outros BB e CC cream da vida. Estamos em um relacionamento longo, monogâmico e cheio de amor.  Foto: Flat lay/makeup table - Shutterstock O bonito não é nenhum novinho na pista, não. Ele foi lançado no ano passado e, d

Everyday #2 - Sobre Animais Fantásticos, Gilmore Girls e McFLY

Imagem
Em Araçatuba, sempre tive o hábito de assistir aos filmes que eu gosto nas pré-estreias. Meia noite de quinta-feira e lá estava  eu na fila do Cine Araújo com um balde de pipoca numa mão e os óculos 3D na outra. Com Harry Potter , era ainda mais sério, porque eu saia do trabalho e já corria para ficar horas na fila - coisa de fã maluco, mesmo. Depois, comecei a fazer isso com os filmes da Marvel, que foi um ótimo substituto para o vazio deixado pelas Relíquias da Morte. Porém, desde que me mudei para São Paulo, isso mudou - e usar a desculpa de " tudo ser muito longe " não rola, porque eu trabalho na frente de um shopping que tem Cinemark. Bem, a quebra dessa corrente foi feita quando eu demorei para assistir Capitão América - Guerra Civil. Se você lê esse blog há tempos, sabe da minha relação com Marvel e essa saga, em específico. Eu fui assistir quase 15 dias depois da estreia por n razões e, depois dessa quebra, desencanei das estreias. Mas confesso que quando vi a galera

Desamor

Imagem
"Eu desamei ". Foi assim que uma amiga me explicou o término do seu namoro: com uma palavra que não é tão usual, mas que tem tanto significado quanto qualquer outro clichê usado pra falar de sentimento. Depois dessa frase, ela não precisou complementar com mais nada. Eu já tinha " desamado " alguém e eu sabia como era.  A gente desama da mesma forma com que ama . Algumas vezes de um jeito avassalador, que você sente o baque na hora e no mesmo segundo já sabe do que se trata. As duas percepções antecedem um "Meu Deus" e as duas chegam sem avisar e quebrando tudo. Assim como o amor, o desamor muda tudo: seus planos, suas certezas e suas vontades. Os dois parecem não fazer sentido ao mesmo tempo em que fazem. Os dois confundem, ao mesmo tempo em que dão certeza. Os dois machucam. Os dois aliviam.  Às vezes, o desamor acontece quando você não tem outra alternativa. Você insiste de todas as formas para que um amor dê certo, mas vocês ou não com

Taking Stock #2

Imagem
Fazendo:  uma playlist para deixar essa quarta-feira ainda mais gostosa Lendo: Um Novo Mundo - O Despertar da Consciência - ganhei de presente da Mi e estou amando demais. Combina muito com o foco que venho dando à minha espiritualidade, então, está me fazendo muito bem. Querendo: dormir por três dias seguidos Planejando: ir assistir Doutor Estranho (pois é, pois é) Desfrutando: de um café bem forte, obrigada Gostando:  das recordações do "Neste Dia", de hoje, do Facebook. Hoje faz dois anos do meu 10 no TCC e relembrar essa conquista deixa o coração quentinho Amando:  o Eddie Redmayne. Sempre gostei dele, mas ele ganhou meu coração a passou a integrar a listinha "CRUSH REAL/OFICIAL" depois de ver Animais Fantásticos e Onde Habitam ♥ Admirando: o quanto fiquei com cara de mais nova depois de cortar o cabelo Necessitando: comer direito. Ontem eu levei uma surra de sermão sobre minha alimentação e excesso de Coca-Cola (pois é, pois é) e eu realmente

Eu escrevo quando...

Imagem
...estou feliz. Conto detalhadamente o que resultou nesse sentimento tão forte que precisei guardar um pouquinho para depois. Faço das palavras escritas, pequenas gotas armazenadas para depois ou para quando precisar, quem sabe. Ao escrever minha felicidade, é como se eu conseguisse garantir sorrisos para outra ocasião .  Escrevo também quando estou triste. Conto detalhadamente o que resultou nesse sentimento tão forte que precisei tirar de mim . Partes pesadas, momentos ruins guardados sem querer e que, inevitavelmente, me fazem sofrer de novo, um pouquinho, quando esbarro acidentalmente naquelas linhas que, teoricamente, deveriam servir apenas de catarse.  A mágica de escrever é a capacidade de eternizar coisas .  E esse, também, é o problema do registro. Boas ou ruins, aquelas situações se tornam vívidas a cada nova leitura. Aquele café incrível e as horas de conversa jogadas foras com aquela pessoa que fez meu coração moribundo dar sinais de vitalidade, por exemp

Bad boa - 5 músicas para uma fossa gostosa

Imagem
Não sou de curtir fossa não. Primeiro porque eu, graças a todas as deusas, supero as coisas muito rápido - tá permitido agradecer ser geminiana com ascendente em sagitário? - e segundo porque eu não vejo sentido em ficar cultivando um estado de espírito ruim. Acredito, sim, que todas as fases devem ser vividas , porém, não curto ficar prolongando algo doloroso, não. Para quem assistiu Gilmore Girls , eu lido com términos da mesma forma que a Rory lidou com o (primeiro) término com o Dean: ignorando qualquer presença da pessoa, ocupando minha cabeça com outras coisas e tocando a vida. Na série não deu certo, eu sei haha, mas para mim funciona muito bem - e eu sempre consigo converter minha fossa em trabalho. Porém, mesmo que eu não seja do time que prolonga a fossa, sou uma eterna viciada em fazer playlists - como vocês bem sabem -, então, é óbvio que tenho meu top 5 " músicas pra escutar deitadinha no escuro e chorando baixinho ". Ao contrário de Slow Dancing In a B

Quando eu descobri que estava amando

Imagem
E então, virou amor.  O que antes era uma convivência quase que forçada e um relacionamento um pouco conturbado, se tornou cumplicidade. É engraçado pensar, hoje, como não conseguíamos ficar sozinhos por muito tempo. Tínhamos necessidade de ter alguém do lado, fosse um conhecido contando um caso engraçado, ou com uma amiga, dividindo um drink colorido em um bar com som alto. Muitas vezes, por pura resistência em nos entregarmos, embarcamos em situações terríveis. Hoje, damos risada ao lembrar daquela balada cheia de tintas coloridas, ou de quando eu cheguei naquela festa de aniversário e só conseguia pensar na minha cama. Demorou, eu sei, mas depois de aceitar minha própria condição, me entreguei. Percebi que era amor quando comecei a achar que o tempo que passávamos juntos era pouco. Diferentemente do que pensava, não senti borboletas no estômago e meu mundo não ganhou uma tonalidade cor-de-rosa, não . Mas preciso confessar que me senti feliz de um jeito que nunca tinha me s

Aquele dos recebidos

Imagem
Olha, eu realmente não sei qual foi a última vez que falei sobre produtos de beleza aqui no blog. Muito provavelmente foi quando eu ainda fazia dele um " blog de moda wannabe " e bem antes da sua digievolução para "diarião da Michele". Então, é quase estranho dizer que, senhoras e senhores, sim, este é um post de beleza. Recheado de opiniões pessoais - e nada profissionais, afinal, eu não entendo absolutamente nada desse assunto - eu vim mostrar para vocês que eu subi um degrauzinho da escala de sucesso da internet pois cheguei em casa e tinha uma caixa com presentinhos, também conhecido como " recebidos ".  Como eu disse, eu realmente não entendo nada sobre o assunto. A quantidade de produtos de maquiagem que eu tenho em casa vai fazer vocês arrancarem seus cabelos - tenho uma base, três batons, um pó marromenos, um delineador em gel e um rímel - e meu conhecimento sobre o assunto é nulo, então, quando o pessoal da Kutiz entrou em contato comig

everyday #1

Imagem
Perceberam que o blog tá de cara nova, né? Eu sei que vocês gostavam do layout anterior - eu amava, também - mas eu sempre tenho essas fases de querer algo extremamente clean com foco só nos textos. Quem lê o blog há um tempo, já sabe disso. Então, acho importante ressaltar que com cara nova do blog, ele tá com um milhão de bugs e eu passei o fim de semana inteiro tentando consertar e NADA. Tá com erro nos comentários via Facebook, tá dando pau na hora de compartilhar o conteúdo, olha, não tá fácil, não, mas vambora fazendo que uma hora a gente sai dessa, né? Então, aproveitando esse recadinho do coração e o tempo que faz que eu não venho falar vários nadas com vocês, vim contar um pouquinho da minha vida, até então.  Na real, estou num período meio diferente. Minha ansiedade voltou - sempre penso se falar sobre o assunto não é exposição demais, mas acho que é importante mostrar uma certa humanidade por aqui. Já me falaram que um texto meu, sobre o assunto, fez com que a pessoa s

o primeiro amor

Imagem
Maio de 2002. Eu relia Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, quando o vi pela primeira vez. Ele passou por mim e, como qualquer novato, se sentou ao fundo da sala. Era difícil não prestar atenção naquele menino de cabelo bagunçado e de olhos absurdamente grandes. Ele praticamente desaparecia sob o uniforme largo. Seu tom de pele se perdia na falta de cor da camiseta que levava o emblema da escola no lado esquerdo do peito. A gola, com costuras e detalhes em dois tons de azul, era a coisa mais visível naquela criança loira, pálida e de sorriso tímido. Não falei oi e prontamente abaixei a cabeça quando ele me olhou de volta. Eu usava meias coloridas até os joelhos, saia plissada, sandália com glitter e pequenos apliques coloridos no cabelo. Ele usava uma bermuda larga e cheia de bolsos laterais. Eu me sentava na frente, no canto direito da sala. Ele se sentava no fundo, no canto esquerdo. Assim como eu, ele adorava as aulas de artes. Sempre demorava mais que todo mundo pa

5 medos que você acha que só você tem

Imagem
Na segunda-feira eu tive um dia muito gostoso, aparentemente. Foi dia de Halloween na empresa, comi muito doce, ri bastante com o pessoal, mas, pra quem tem sempre um elefantezinho nas costas, até mesmo os melhores dias podem ser difíceis, mesmo que só você saiba disso. Em um desses meus dias, me deu uns cinco minutos e, ainda trajada de Vandinha Adams wannabe , fiz um vídeo para dividir com vocês cinco medos que eu tenho e que eu tenho certeza que você também tem - e que acredita que são só seus. O vídeo tá grandinho, quase 10 minutos, mas juro que não está cansativo e eu falo menos de dois minutos de cada medo. Vem ver que ele é quase um abracinho. O que falta em qualidade, sobra em amor. Prometo. ♥ __ Extra: eu acho que o universo quis muito me impedir de passar vergonha, porque esse vídeo foi um parto, mesmo ele sendo caseirão e sem produção. Primeiro o meu Premiere parou de funcionar; depois não consegui instalar um novo; depois ele não abria arquivos .mov; depois e

Excesso de futuro

Imagem
Amanhã eu começo a caminhar. Amanhã começo aquela série que todo mundo está assistindo. As coisas vão melhorar, amanhã. Amanhã, talvez, eu conheça alguém incrível. Amanhã, quem sabe, eu esqueço aquela outra pessoa incrível. Podemos nos ver, amanhã! Amanhã vai fazer Sol. Vamos marcar uma cerveja, amanhã? Tenho vontade de aprender um novo idioma, vou pesquisar sobre isso amanhã. Amanhã eu juro que limpo meu quarto. Amanhã, sem falta, vou separar umas roupas que não uso mais. Amanhã vou organizar meus livros. Amanhã eu começo a poupar dinheiro. A gente se fala, amanhã Amanhã. E quando você percebe, o amanhã já passou. E a vida também. -- Vai com calma, Novembro. Sem pressa. Sem excesso de futuro.

em um relacionamento sério com o bb blur, da la roche-posay

Imagem
Pois é, amigas e amigos, vivemos para ver Michelinha fazendo resenha de produto de beleza nesse blog. Quer dizer, há alguns anos, eu até tentei uma coisinha ou outra, mas eu assumi para mim mesma que não entendia nada sobre o assunto e larguei mão. Troquei as bases pelos textos sobre meus problemas e fiquei muito mais feliz - se é que isso faz sentido. Pois bem, como contei no mês passado , a Kutiz me mandou recebidos e, depois do post, mandou mais - coisa linda, gente! - e um dos produtos enviados fez o meu coração bater mais forte, o mundo ganhar uma nova paleta de cores e, de repente, pensei que minha vida estivesse sendo dirigida pelo  Wes Anderson . Foi amor. O Effaclar BB Blur , da La Roche-Posay me pegou de jeito e abri mão de qualquer outro casinho com outros BB e CC cream da vida. Estamos em um relacionamento longo, monogâmico e cheio de amor.  Foto: Flat lay/makeup table - Shutterstock O bonito não é nenhum novinho na pista, não. Ele foi lançado no ano passado e, d

Everyday #2 - Sobre Animais Fantásticos, Gilmore Girls e McFLY

Imagem
Em Araçatuba, sempre tive o hábito de assistir aos filmes que eu gosto nas pré-estreias. Meia noite de quinta-feira e lá estava  eu na fila do Cine Araújo com um balde de pipoca numa mão e os óculos 3D na outra. Com Harry Potter , era ainda mais sério, porque eu saia do trabalho e já corria para ficar horas na fila - coisa de fã maluco, mesmo. Depois, comecei a fazer isso com os filmes da Marvel, que foi um ótimo substituto para o vazio deixado pelas Relíquias da Morte. Porém, desde que me mudei para São Paulo, isso mudou - e usar a desculpa de " tudo ser muito longe " não rola, porque eu trabalho na frente de um shopping que tem Cinemark. Bem, a quebra dessa corrente foi feita quando eu demorei para assistir Capitão América - Guerra Civil. Se você lê esse blog há tempos, sabe da minha relação com Marvel e essa saga, em específico. Eu fui assistir quase 15 dias depois da estreia por n razões e, depois dessa quebra, desencanei das estreias. Mas confesso que quando vi a galera

Desamor

Imagem
"Eu desamei ". Foi assim que uma amiga me explicou o término do seu namoro: com uma palavra que não é tão usual, mas que tem tanto significado quanto qualquer outro clichê usado pra falar de sentimento. Depois dessa frase, ela não precisou complementar com mais nada. Eu já tinha " desamado " alguém e eu sabia como era.  A gente desama da mesma forma com que ama . Algumas vezes de um jeito avassalador, que você sente o baque na hora e no mesmo segundo já sabe do que se trata. As duas percepções antecedem um "Meu Deus" e as duas chegam sem avisar e quebrando tudo. Assim como o amor, o desamor muda tudo: seus planos, suas certezas e suas vontades. Os dois parecem não fazer sentido ao mesmo tempo em que fazem. Os dois confundem, ao mesmo tempo em que dão certeza. Os dois machucam. Os dois aliviam.  Às vezes, o desamor acontece quando você não tem outra alternativa. Você insiste de todas as formas para que um amor dê certo, mas vocês ou não com

Taking Stock #2

Imagem
Fazendo:  uma playlist para deixar essa quarta-feira ainda mais gostosa Lendo: Um Novo Mundo - O Despertar da Consciência - ganhei de presente da Mi e estou amando demais. Combina muito com o foco que venho dando à minha espiritualidade, então, está me fazendo muito bem. Querendo: dormir por três dias seguidos Planejando: ir assistir Doutor Estranho (pois é, pois é) Desfrutando: de um café bem forte, obrigada Gostando:  das recordações do "Neste Dia", de hoje, do Facebook. Hoje faz dois anos do meu 10 no TCC e relembrar essa conquista deixa o coração quentinho Amando:  o Eddie Redmayne. Sempre gostei dele, mas ele ganhou meu coração a passou a integrar a listinha "CRUSH REAL/OFICIAL" depois de ver Animais Fantásticos e Onde Habitam ♥ Admirando: o quanto fiquei com cara de mais nova depois de cortar o cabelo Necessitando: comer direito. Ontem eu levei uma surra de sermão sobre minha alimentação e excesso de Coca-Cola (pois é, pois é) e eu realmente

Eu escrevo quando...

Imagem
...estou feliz. Conto detalhadamente o que resultou nesse sentimento tão forte que precisei guardar um pouquinho para depois. Faço das palavras escritas, pequenas gotas armazenadas para depois ou para quando precisar, quem sabe. Ao escrever minha felicidade, é como se eu conseguisse garantir sorrisos para outra ocasião .  Escrevo também quando estou triste. Conto detalhadamente o que resultou nesse sentimento tão forte que precisei tirar de mim . Partes pesadas, momentos ruins guardados sem querer e que, inevitavelmente, me fazem sofrer de novo, um pouquinho, quando esbarro acidentalmente naquelas linhas que, teoricamente, deveriam servir apenas de catarse.  A mágica de escrever é a capacidade de eternizar coisas .  E esse, também, é o problema do registro. Boas ou ruins, aquelas situações se tornam vívidas a cada nova leitura. Aquele café incrível e as horas de conversa jogadas foras com aquela pessoa que fez meu coração moribundo dar sinais de vitalidade, por exemp

Bad boa - 5 músicas para uma fossa gostosa

Imagem
Não sou de curtir fossa não. Primeiro porque eu, graças a todas as deusas, supero as coisas muito rápido - tá permitido agradecer ser geminiana com ascendente em sagitário? - e segundo porque eu não vejo sentido em ficar cultivando um estado de espírito ruim. Acredito, sim, que todas as fases devem ser vividas , porém, não curto ficar prolongando algo doloroso, não. Para quem assistiu Gilmore Girls , eu lido com términos da mesma forma que a Rory lidou com o (primeiro) término com o Dean: ignorando qualquer presença da pessoa, ocupando minha cabeça com outras coisas e tocando a vida. Na série não deu certo, eu sei haha, mas para mim funciona muito bem - e eu sempre consigo converter minha fossa em trabalho. Porém, mesmo que eu não seja do time que prolonga a fossa, sou uma eterna viciada em fazer playlists - como vocês bem sabem -, então, é óbvio que tenho meu top 5 " músicas pra escutar deitadinha no escuro e chorando baixinho ". Ao contrário de Slow Dancing In a B

Quando eu descobri que estava amando

Imagem
E então, virou amor.  O que antes era uma convivência quase que forçada e um relacionamento um pouco conturbado, se tornou cumplicidade. É engraçado pensar, hoje, como não conseguíamos ficar sozinhos por muito tempo. Tínhamos necessidade de ter alguém do lado, fosse um conhecido contando um caso engraçado, ou com uma amiga, dividindo um drink colorido em um bar com som alto. Muitas vezes, por pura resistência em nos entregarmos, embarcamos em situações terríveis. Hoje, damos risada ao lembrar daquela balada cheia de tintas coloridas, ou de quando eu cheguei naquela festa de aniversário e só conseguia pensar na minha cama. Demorou, eu sei, mas depois de aceitar minha própria condição, me entreguei. Percebi que era amor quando comecei a achar que o tempo que passávamos juntos era pouco. Diferentemente do que pensava, não senti borboletas no estômago e meu mundo não ganhou uma tonalidade cor-de-rosa, não . Mas preciso confessar que me senti feliz de um jeito que nunca tinha me s

Aquele dos recebidos

Imagem
Olha, eu realmente não sei qual foi a última vez que falei sobre produtos de beleza aqui no blog. Muito provavelmente foi quando eu ainda fazia dele um " blog de moda wannabe " e bem antes da sua digievolução para "diarião da Michele". Então, é quase estranho dizer que, senhoras e senhores, sim, este é um post de beleza. Recheado de opiniões pessoais - e nada profissionais, afinal, eu não entendo absolutamente nada desse assunto - eu vim mostrar para vocês que eu subi um degrauzinho da escala de sucesso da internet pois cheguei em casa e tinha uma caixa com presentinhos, também conhecido como " recebidos ".  Como eu disse, eu realmente não entendo nada sobre o assunto. A quantidade de produtos de maquiagem que eu tenho em casa vai fazer vocês arrancarem seus cabelos - tenho uma base, três batons, um pó marromenos, um delineador em gel e um rímel - e meu conhecimento sobre o assunto é nulo, então, quando o pessoal da Kutiz entrou em contato comig

everyday #1

Imagem
Perceberam que o blog tá de cara nova, né? Eu sei que vocês gostavam do layout anterior - eu amava, também - mas eu sempre tenho essas fases de querer algo extremamente clean com foco só nos textos. Quem lê o blog há um tempo, já sabe disso. Então, acho importante ressaltar que com cara nova do blog, ele tá com um milhão de bugs e eu passei o fim de semana inteiro tentando consertar e NADA. Tá com erro nos comentários via Facebook, tá dando pau na hora de compartilhar o conteúdo, olha, não tá fácil, não, mas vambora fazendo que uma hora a gente sai dessa, né? Então, aproveitando esse recadinho do coração e o tempo que faz que eu não venho falar vários nadas com vocês, vim contar um pouquinho da minha vida, até então.  Na real, estou num período meio diferente. Minha ansiedade voltou - sempre penso se falar sobre o assunto não é exposição demais, mas acho que é importante mostrar uma certa humanidade por aqui. Já me falaram que um texto meu, sobre o assunto, fez com que a pessoa s

o primeiro amor

Imagem
Maio de 2002. Eu relia Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, quando o vi pela primeira vez. Ele passou por mim e, como qualquer novato, se sentou ao fundo da sala. Era difícil não prestar atenção naquele menino de cabelo bagunçado e de olhos absurdamente grandes. Ele praticamente desaparecia sob o uniforme largo. Seu tom de pele se perdia na falta de cor da camiseta que levava o emblema da escola no lado esquerdo do peito. A gola, com costuras e detalhes em dois tons de azul, era a coisa mais visível naquela criança loira, pálida e de sorriso tímido. Não falei oi e prontamente abaixei a cabeça quando ele me olhou de volta. Eu usava meias coloridas até os joelhos, saia plissada, sandália com glitter e pequenos apliques coloridos no cabelo. Ele usava uma bermuda larga e cheia de bolsos laterais. Eu me sentava na frente, no canto direito da sala. Ele se sentava no fundo, no canto esquerdo. Assim como eu, ele adorava as aulas de artes. Sempre demorava mais que todo mundo pa

5 medos que você acha que só você tem

Imagem
Na segunda-feira eu tive um dia muito gostoso, aparentemente. Foi dia de Halloween na empresa, comi muito doce, ri bastante com o pessoal, mas, pra quem tem sempre um elefantezinho nas costas, até mesmo os melhores dias podem ser difíceis, mesmo que só você saiba disso. Em um desses meus dias, me deu uns cinco minutos e, ainda trajada de Vandinha Adams wannabe , fiz um vídeo para dividir com vocês cinco medos que eu tenho e que eu tenho certeza que você também tem - e que acredita que são só seus. O vídeo tá grandinho, quase 10 minutos, mas juro que não está cansativo e eu falo menos de dois minutos de cada medo. Vem ver que ele é quase um abracinho. O que falta em qualidade, sobra em amor. Prometo. ♥ __ Extra: eu acho que o universo quis muito me impedir de passar vergonha, porque esse vídeo foi um parto, mesmo ele sendo caseirão e sem produção. Primeiro o meu Premiere parou de funcionar; depois não consegui instalar um novo; depois ele não abria arquivos .mov; depois e

Excesso de futuro

Imagem
Amanhã eu começo a caminhar. Amanhã começo aquela série que todo mundo está assistindo. As coisas vão melhorar, amanhã. Amanhã, talvez, eu conheça alguém incrível. Amanhã, quem sabe, eu esqueço aquela outra pessoa incrível. Podemos nos ver, amanhã! Amanhã vai fazer Sol. Vamos marcar uma cerveja, amanhã? Tenho vontade de aprender um novo idioma, vou pesquisar sobre isso amanhã. Amanhã eu juro que limpo meu quarto. Amanhã, sem falta, vou separar umas roupas que não uso mais. Amanhã vou organizar meus livros. Amanhã eu começo a poupar dinheiro. A gente se fala, amanhã Amanhã. E quando você percebe, o amanhã já passou. E a vida também. -- Vai com calma, Novembro. Sem pressa. Sem excesso de futuro.