Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2017

sobre (sua) partida

Imagem
Troquei o lençol da cama, a fronha do travesseiro e acendi um incenso no quarto queria tirar o seu cheiro e rastro de qualquer coisa que eu pudesse olhar ou encostar meu corpo junto com o lençol amassado, estavam minhas expectativas e as metas que fizemos juntos as de curto e longo prazo. com os papéis que tinham sua letra, ia embora também toda a minha vontade de ter você, de fazer parte da sua vida e de seus dias. de te entender, de te arrancar um sorriso de mexer no seu cabelo e de te chamar para deitar. engoli o choro quando percebi por fim que eu não queria que voltasse nem para meu quarto, muito menos para minha vida. fechei a porta. não só do cômodo que nos abrigou por algumas noites, mas principalmente, do meu coração.

Sobre você, Dylan e eu

Imagem
Quando te conheci, estava recém-apaixonada pelo Dylan. Eu amava genuinamente tudo o que ouvia dele. Enxergava perfeição em cada uma de suas palavras e acreditava que toda aquela euforia era algo extremamente novo e jamais sentido. Disse, algumas vezes, que eu “me envolvi com Dylan na hora certa”. O amor ter acontecido naquela ocasião explicava perfeitamente o porquê do não encantamento (não) sentido antes. “Timing” “Tinha que ter sido naquele momento” “Era pra ter sido daquele jeito”  Com você, foi mais ou menos assim, também. Tínhamos que ter nos conhecido naquela terça-feira de abril e não em outubro. Tínhamos que ter dividido aquele pão de batata na madrugada, não podia ter sido um lanche. Estávamos acontecendo rápido e, mesmo bagunçado e veloz, tudo fazia perfeito sentido. Se encaixava de um jeito que a gente até acreditava ser inédito. Era amor embalado com alguns de seus mais intensos arranjos.  Tinha que ter sido naquele momento.  Era pra ter

5 coisas legais que aconteceram nesse tempo

Imagem
Está autorizado me cumprimentarem com um "oi sumida" com esse post sim. Como bem disse no texto anterior, tô numa fase meio bagunçada e que, consequentemente, me deixou meio ausente do blog. Confesso que ainda estou na tentativa de escrever algo pra me "aliviar" desse turbilhão todo, mas enquanto não sai um textão do jeito que vocês gostam, vim fazer aquele momento diarinho para contar cinco coisas legais que aconteceram comigo nesse tempo longe de casa.  1. Cortei o cabelo Eu nunca cortei tanto o cabelo e confesso que fiquei bem surpresa com a minha falta de drama sobre o assunto. Eu sou um pouco dramática quando o assunto é picumã, daquele tipo que chora quando corta 3cm além do combinado, coisas assim. Com toda essa fase conturbada e etc, me deu uns cinco minutos, marquei o corte, fui no dia seguinte e pei: to amando. Até minha mãe que é daquele tipo que acredita que beleza e sensualidade feminina estão atreladas ao comprimento do cabelo, adorou! Par

Fui ali entender meu coração

Imagem
Estou passando por um momento muito conturbado, em relação aos meus sentimentos de uma forma geral. Muita coisa acontecendo, muito sentimento aqui dentro, muita necessidade de esvaziar o peito e nenhuma capacidade de fazê-lo. Eu não vou dizer que é bloqueio criativo porque não é: é incapacidade de traduzir tanta coisa em algumas palavras, mesmo. Nada do que eu escrever fará jus a intensidade dessas coisas aqui de dentro e por isso, parei de tentar. Rascunhei diferentes desabafos nas mais diversas narrativas, mas não vai. A cada vez que tento escrever sobre, somo uma dose de frustração ao já amargo gosto da incerteza. Decidi me respeitar e parar de tentar, pelo menos enquanto as dúvidas turvas começam seu processo de esclarecimento. Eu ainda não sei definir se tudo isso aqui dentro são coisas boas ou ruins, se são dádivas ou maldições. O que sei é que me tiram o sono, me deixam com o coração pesado e me roubam os pensamentos durante o dia. Não é um alguém, mas é uma série de

sobre (sua) partida

Imagem
Troquei o lençol da cama, a fronha do travesseiro e acendi um incenso no quarto queria tirar o seu cheiro e rastro de qualquer coisa que eu pudesse olhar ou encostar meu corpo junto com o lençol amassado, estavam minhas expectativas e as metas que fizemos juntos as de curto e longo prazo. com os papéis que tinham sua letra, ia embora também toda a minha vontade de ter você, de fazer parte da sua vida e de seus dias. de te entender, de te arrancar um sorriso de mexer no seu cabelo e de te chamar para deitar. engoli o choro quando percebi por fim que eu não queria que voltasse nem para meu quarto, muito menos para minha vida. fechei a porta. não só do cômodo que nos abrigou por algumas noites, mas principalmente, do meu coração.

Sobre você, Dylan e eu

Imagem
Quando te conheci, estava recém-apaixonada pelo Dylan. Eu amava genuinamente tudo o que ouvia dele. Enxergava perfeição em cada uma de suas palavras e acreditava que toda aquela euforia era algo extremamente novo e jamais sentido. Disse, algumas vezes, que eu “me envolvi com Dylan na hora certa”. O amor ter acontecido naquela ocasião explicava perfeitamente o porquê do não encantamento (não) sentido antes. “Timing” “Tinha que ter sido naquele momento” “Era pra ter sido daquele jeito”  Com você, foi mais ou menos assim, também. Tínhamos que ter nos conhecido naquela terça-feira de abril e não em outubro. Tínhamos que ter dividido aquele pão de batata na madrugada, não podia ter sido um lanche. Estávamos acontecendo rápido e, mesmo bagunçado e veloz, tudo fazia perfeito sentido. Se encaixava de um jeito que a gente até acreditava ser inédito. Era amor embalado com alguns de seus mais intensos arranjos.  Tinha que ter sido naquele momento.  Era pra ter

5 coisas legais que aconteceram nesse tempo

Imagem
Está autorizado me cumprimentarem com um "oi sumida" com esse post sim. Como bem disse no texto anterior, tô numa fase meio bagunçada e que, consequentemente, me deixou meio ausente do blog. Confesso que ainda estou na tentativa de escrever algo pra me "aliviar" desse turbilhão todo, mas enquanto não sai um textão do jeito que vocês gostam, vim fazer aquele momento diarinho para contar cinco coisas legais que aconteceram comigo nesse tempo longe de casa.  1. Cortei o cabelo Eu nunca cortei tanto o cabelo e confesso que fiquei bem surpresa com a minha falta de drama sobre o assunto. Eu sou um pouco dramática quando o assunto é picumã, daquele tipo que chora quando corta 3cm além do combinado, coisas assim. Com toda essa fase conturbada e etc, me deu uns cinco minutos, marquei o corte, fui no dia seguinte e pei: to amando. Até minha mãe que é daquele tipo que acredita que beleza e sensualidade feminina estão atreladas ao comprimento do cabelo, adorou! Par

Fui ali entender meu coração

Imagem
Estou passando por um momento muito conturbado, em relação aos meus sentimentos de uma forma geral. Muita coisa acontecendo, muito sentimento aqui dentro, muita necessidade de esvaziar o peito e nenhuma capacidade de fazê-lo. Eu não vou dizer que é bloqueio criativo porque não é: é incapacidade de traduzir tanta coisa em algumas palavras, mesmo. Nada do que eu escrever fará jus a intensidade dessas coisas aqui de dentro e por isso, parei de tentar. Rascunhei diferentes desabafos nas mais diversas narrativas, mas não vai. A cada vez que tento escrever sobre, somo uma dose de frustração ao já amargo gosto da incerteza. Decidi me respeitar e parar de tentar, pelo menos enquanto as dúvidas turvas começam seu processo de esclarecimento. Eu ainda não sei definir se tudo isso aqui dentro são coisas boas ou ruins, se são dádivas ou maldições. O que sei é que me tiram o sono, me deixam com o coração pesado e me roubam os pensamentos durante o dia. Não é um alguém, mas é uma série de