Um post sobre As Ondas da Blogosfera

Thread do twitter transformada em post aqui no blog porque a gente nunca sabe, né?

O blog começou com a pegada de diário virtual nos próprios provedores de internet. Além das salas de chat, responsáveis pelas nossas primeiras amizades virtuais, também rolavam os blogs, que eram mais simples e limitados. Como eu acessava pelo IG, meu primeiro blog foi um BLIG e se chamava "Turma da Milly" (eu tinha 11 anos, vai!).


Por ser limitado (no Blig você fazia um avatar pixelado, escolhia um dos 6 ou 7 temas e pronto, era o máximo de personalização) não demorou para que quem precisava de um serviço gratuito migrasse para o Weblogger, o blog do Terra.


Se não me engano, o Weblogger foi a primeira opção gratuita que não exigia um e-mail proprietário, já que o Terra era assinado. Então, muita gente migrou para o Weblogger, que além de ser bem maior, possibilitava a personalização de templates.

desculpa a qualidade, mas não existem mais registros desse que foi meu primeiro "lay"


Foi nessa época que os blogs se pautavam por alguns grandes gigantes da blogosfera, como Brumaximus, TemplatesByMarina, Tomoeda e VickysPlace. Existiam muuuuitos outros, mas esses eram os que eu usava. A internet era um bairrinho: praticamente todo mundo se conhecia.

Conforme a gente ia fuçando os HTMLs (e aprendendo a deixar cursor colorido ou fazer caixinha de link-me), também começamos a nos aventurar nos programas de edição de imagem, afinal, queríamos usar as dolls do dolls.com.br no blog.

Então, com esse primeiro grupo crescendo e programas como Fireworks e Photoshop chegando "pra gente", outras novas estéticas foram aparecendo. E aí me sinto segura em dizer que veio aí a Segunda Onda.



Nessa Segunda Onda, saíram Brumaximus e Tomoeda e entraram ícones como Evelyn's Place (sim, a 
@evelynregly) e a Drikoti.



Com resolução 800x600, os layoutes eram carregadíssimos no Bevel & Emboss, fazíamos nossos próprios gifs cheios e glitter e trocávamos de template quase que semanalmente. Aliás, se hoje o Twitter briga por diva pop, na nossa época a pergunta era uma só: Hilary ou Lindsay?



Nesse momento, uns anos depois desse boom, o UOL lançou a melhor ferramenta gratuita: o de domínio .zip.net. Ele também não exigia e-mail proprietário do UOL (que também era pago) e oferecia muito mais espaço pra hospedagem. Foi um grande momento.


Aqui já começamos a migrar do layout "bevelado" para outras trécnicas, como uso de blends, brushes (muitos deles baixados no JustLia, sim, da @liacamargo) e de tema. Começamos a deixar a Hilary/Lindsay para estrelas da Disney ou bandas favoritas.

Inclusive, nessa era 2008/2009 a gente já usava os blogs de um jeito diário-melhor-escrito, onde começávamos a falar sobre as coisas de um jeito que ia além do "fui pra escola e foi legal". Aqui também começamos a trocar os gifs de "xau" por avatares mais bonitinhos.


gente, olha a janelinha do MSN ali no cantinho do windows XP

Nessa época, também, começamos a ver pessoas comprando hospedagem e tendo blogs no Wordpress. Era muito comum algumas pessoas "te darem hospedagem" se ela gostasse do seu conteúdo. Aí, com ainda mais possibilidades, entramos na Terceira Onda.


meu deus olha a minha descrição!!11111 que horror


Nesse momento já tinha MUITA gente na blogosfera e o que antes era um quintalzinho, agora era uma cidade inteira. Tinha as famílias com um determinado domínio, tinha os blogs que produziam MUITO conteúdo pra ajudar quem estava migrando pro Wordpress, tinha os blogs famosinhos e os fandoms cresciam.


meu deus o AUGE essa minha descrição em nome de jesusss

Nessa terceira onda, você já tinha o seu "blogroll" bem definido. Você já tinha os seus favoritos, já sabia quem comentava nos seus posts e já tinha toda essa galera no MSN. Aqui já tínhamos o Orkut, então, o blog era menos rede social e mais parecido com o que ele é hoje.


ai a era "meu filme favorito é um francês, Amélie Poulain, conhece?"

Pouco tempo depois, veio ele: o boom dos blogs e o que eu chamo de A Quarta Onda. Aqui ter blog era cool, era sinônimo de influência e era a vida pré-Instagram. Aqui todo mundo quis criar blog pra ser famoso e o que antes era uma cidadezinha, virou um país inteiro.


se tem uma pessoa que mereceu o status de blogueira, essa pessou foi a Lia

Aí veio o Instagram e vocês sabem o resto. Agora, estou vendo surgir o que pode ser a Quinta Onda (?) que é de quem ficou órfão do blog desde a migração em massa para o Instagram. Eu torço muito, até porque, desde o meu "último blog" (este que vocês leem), eu nunca mais saí. 

Postar um comentário

Instagram

michele contel. Theme by STS.